Cotidiano

SP apresenta conjunto de 655 ações para tornar cidade mais sustentável

Da Redação ·

O Parque Augusta-Bruno Covas será palco neste sábado, 11, do lançamento da Agenda 2030, um plano com 655 ações desenvolvidas pela Prefeitura com o objetivo de transformar a capital em uma cidade mais sustentável. A iniciativa faz parte de um acordo firmado pelos 193 Estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) e, em São Paulo, é liderada pela secretária de Relações Internacionais Marta Suplicy.

continua após publicidade

Marta é presidente da Comissão Municipal ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) e contou ao Estadão que o evento deste fim de semana visa a apresentar o compromisso firmado em 2018 pelo então prefeito Bruno Covas (PSDB) à população. "Temos de popularizar o que precisa ser feito. Se você não tem a população entendendo, não adianta falar de ODS. Temos ações para atingir essas metas, elas não são abstratas que ficam no papel e não saem dali."

Criada em 2015, a Agenda 2030 consiste em 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) a serem implementados pelos municípios por meio de 169 metas que se espalham por temas como direitos humanos, saúde, educação, emprego, moradia, sustentabilidade etc. Em São Paulo, as 655 ações propostas foram criadas de forma transversal entre as secretarias e membros da sociedade civil, dialogando ainda com o Plano Diretor Estratégico e o Plano Plurianual (2022-2025).

continua após publicidade

AMBIÇÃO

Na prática, todas essas ações ampliam o escopo de medidas a serem tomadas pela Prefeitura para a melhoria de vida da população e vão desde objetivos amplos e ambiciosos, como erradicação da miséria e aumento do acesso à saúde, a metas específicas, como parcerias internacionais para o desenvolvimento tecnológico, criação de hortas orgânicas, acessibilidade de todos os moradores da cidade à internet, inserção de 2 mil beneficiários no Bolsa trabalho etc. O investimento total, segundo Marta, é de R$ 13 bilhões. "O objetivo maior é não deixar ninguém para trás. É pretensioso e grande, como São Paulo é também. Não é só a Prefeitura, o Estado ou a União, mas todos os cidadãos também são responsáveis por isso."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.