Cotidiano

RJ: ação da PF mira esquema de sobrepreço e fraude na compra de testes anticovid

Da Redação ·

A Polícia Federal (PF) no Rio de Janeiro deflagrou na manhã desta terça-feira, 14, a Operação Reativo para investigar suposta fraude em licitação realizada para compra de kits de teste rápido da covid-19. A ofensiva mira em crimes de fraude à licitação e peculato. Um efetivo de 120 policiais federais cumpre 26 mandados de busca e apreensão, expedidos pela 4ª Vara Federal de São João de Meriti (RJ). A Justiça ainda bloqueou contas e sequestrou bens e valores dos investigados. As diligências são realizadas em sete cidades do Estado: Rio de Janeiro, Japeri, Laje de Muriaé, Nilópolis, São João de Meriti, Nova Iguaçu e Mesquita.

continua após publicidade

De acordo com a PF, a investigação teve início após a deflagração da Operação Apneuse, em setembro de 2020, e análise feita pela Controladoria Geral da União (CGU) em contratos da Prefeitura de Japeri. As apurações identificaram sobrepreço nas licitações, diz a corporação.

Os investigadores suspeitam que três empresas que participaram do processo licitatório "agiram em conluio" para direcionar a empresa ganhadora a fechar contrato de R$ 2 milhões. A Polícia Federal diz ainda ter verificado que as companhias sob suspeita "estão vinculadas a diversos processos licitatórios em várias outras cidades no Estado".