Cotidiano

Recém-nascido de 3 dias sobrevive a acidente com 5 mortos

A criança foi resgatada ilesa do acidente

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Recém-nascido de 3 dias sobrevive a acidente com 5 mortos
fonte: Divulgação/Corpo de Bombeiros
Recém-nascido de 3 dias sobrevive a acidente com 5 mortos

Durante a noite do último domingo (15), um acidente trágico resultou na morte de cinco pessoas na MG-307, em Grão Mogol, Minas Gerais. Entretanto, o que chama a atenção foi um bebê recém-nascido, que estava em um dos carros, sobreviver à colisão sem ferimento algum. 

continua após publicidade

 

Recém-nascido de 3 dias sobrevive a acidente com 5 mortos fonte: Divulgação/Samu

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente envolveu dois automóveis e uma carreta. Os dois veículos colidiram na carreta bitrem que saiu de uma estrada vicinal e entrou na rodovia. Um dos carros era da Prefeitura de Botumirim e transportava cinco pessoas, entre elas o recém-nascido e a mãe. No outro automóvel, viajavam duas pessoas. O condutor morreu no local e o passageiro, de 30 anos, foi resgatado com ferimentos. 

continua após publicidade

Conforme o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), o recém-nascido pode ter se salvado por conta do bebê conforto. A criança apresentava hipoglicemia, que seria uma queda vertiginosa das taxas de açúcar no sangue, mas foi medicada. Na sequência, foi encaminhada para um hospital. 

Segundo o boletim médico, o estado de saúde da criança é estável e "o recém-nascido está sendo avaliado pelos médicos, mas até o momento não foi necessário nenhum procedimento".

A prefeitura divulgou os nomes das vítimas fatais. Morreram na colisão a mãe do bebê Fernanda Caroline Alves Ferreira, de 23 anos, o motorista da prefeitura Eliomar Célio Pereira dos Santos, de 47 anos, Sebastião Pereira dos Santos, de 50 anos, e a filha dele Samara de Jesus dos Santos, de 18 anos. Sebastião tinha feito uma cirurgia em Montes Claros e estava acompanhado da filha. A prefeitura de Botumirim decretou luto oficial de três dias.

Com informações; G1.