Cotidiano

Polícia desvenda caso do sumiço de meninos em Belford Roxo

As crianças foram torturadas e executadas pelo tribunal do tráfico, após serem "condenadas" por um suposto roubo

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Polícia desvenda caso do sumiço de meninos em Belford Roxo
fonte: Reprodução/Redes sociais

A Polícia Civil do Rio de Janeiro desvendou o crime por trás do sumiço de três meninos, em Belford Roxo. As vítimas, identificadas como Lucas Matheus, Alexandre da Silva e Fernando Henrique, de 9, 11 e 12 anos, respectivamente, desapareceram no dia 27 de dezembro do ano passado.

continua após publicidade

A Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense realizou uma operação para cumprir 51 mandados de prisão por crime de associação para o tráfico e 5 mandados de prisão por crime de homicídio qualificado pela morte dos três garotos. 

As investigações, que duraram quase um ano, apontaram que as crianças foram "condenadas" por um suposto roubo de passarinho pelo tribunal do tráfico da Favela Castelar. Lucas, Alexandre e Fernando foram submetidos à tortura, inclusive, um deles morreu em decorrência da surra. Os outros dois acabaram sendo executados. 

continua após publicidade

As autoridades divulgaram o nome dos acusados, responsáveis pela morte dos meninos. Veja:

Edgar Alves de Andrade, o Doca, um dos chefes do Comando Vermelho (foragido) - Foi implicado no crime após outro traficante, Stala ter dito que foi autorizado por ele a matar as crianças;

Ana Paula da Rosa Costa, a Tia Paula (morta) - Teria convocado o motorista do carro que levou os corpos dos meninos para ser jogado em um rio da região, e sabia que as crianças foram agredidas e torturadas até uma delas morrer;

continua após publicidade

Willer Castro da Silva, o Stala, gerente do tráfico do Castelar (morto)- sobrinho do homem que teve o passarinho roubado, atuava como gerente-geral do tráfico na comunidade do Castelar e ordenou a tortura das crianças;

José Carlos Prazeres da Silva, o Piranha (morto)- Sabia dos crimes que aconteciam na Castelar e autorizava ou não a sua realização;

VT ou Vitinho (preso) - gerente geral ao lado de Stala. Fugiu para não ser morto pelo CV e localizado e preso pela DHBF em Cabo Frio, onde se escondia.

As informações são do G1.