Cotidiano

Pecuaristas fazem churrasco em frente a banco como protesto

O evento foi chamado de "Segunda Com Carne". Há uma enorme polêmica por trás desta ação

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Pecuaristas fazem churrasco em frente a banco como protesto
fonte: Reprodução

Uma propaganda sobre consumo sustentável feita pelo banco Bradesco, na última semana, gerou muita repercussão. No anúncio, três influenciadoras dão dicas de como reduzir os impactos ao meio ambiente. Em uma dessas dicas, elas pedem as pessoas que reduzam o consumo de carne pelo menos uma vez na semana, em um movimento que ficou conhecido como "Segunda Sem Carne". 

continua após publicidade

"A criação de gado contribui para a emissão dos gases de efeito estufa, então, que tal se a gente reduzir o nosso consumo de carne e escolher um prato vegetariano na segunda-feira?", sugerem as influenciadoras no vídeo que busca promover redução de carbono. 

Porém, o caso gerou uma grande entre os pecuaristas, que decidiram realizar um churrasco em frente às agências do Bradesco, nesta segunda-feira (3). Protestos foram registrados em agências de Ribeirão Preto (SP), Araçatuba (SP), Birigui (SP), Cuiabá (MT), Rondonópolis (MT), Araguaína (TO), Água Boa (MT), Canarana (MT), Barra do Garça (MT), Goiânia (GO) e Xinguara (PA).

continua após publicidade

No Mato Grosso, a manifestação da categoria tem o apoio da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), da Nelore Mato Grosso e da Associação Brasileira dos Criadores de Zebul (ABCZ).

O evento foi chamado de "Segunda Com Carne". Isso porque no vídeo do banco uma das influenciadoras pedia que as pessoas adotassem a "Segunda Sem Carne" visando reduzir o consumo do alimento. 

"Não é exagero da parte deles, é má-fé. Eles fazem de propósito para quebrar o agronegócio. A mesma propaganda feita pelo Banco do Brasil mostra a diferença entre um banco consciente e outro que faz difamação do agronegócio", disse o deputado estadual Gilberto Cattani (PSL) à Folha. 

continua após publicidade

Durante o ato em Cuiabá, cerca de 2.000 espetos de carne são distribuídos para as pessoas que passam pela agência, no centro da cidade

Enquanto a categoria classifica a propaganda como "inverdade", o ex-ministro do Meio Ambiente chamou a peça de "ridícula". Especialistas apontam que a criação de gado contribui para o aumento do efeito estufa devido à emissão de gás metano. 

As informações são da Folha de São Paulo.