Cotidiano

OMS: “Pandemia vai acabar quando o mundo decidir agir”

De acordo com o diretor geral da OMS, o mundo só vai superar a pandemia de Covid-19 quando decidir agir, pois, segundo ele, já temos todas as ferramentas para prevenir, detectar e tratar a doença

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia OMS: “Pandemia vai acabar quando o mundo decidir agir”
fonte: Denis Balibouse/Reuters
OMS: “Pandemia vai acabar quando o mundo decidir agir”

Na manhã desta sexta-feira (30), o diretor geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou, em uma entrevista coletiva, que o mundo só vai superar a pandemia de Covid-19 quando decidir agir, pois, segundo ele, já temos todas as ferramentas para prevenir, detectar e tratar a doença. 

continua após publicidade

“Está nas nossas mãos. Apesar disso, os casos e mortes seguem aumentando. Em média, tivemos uma alta de 8% nos casos ao redor do mundo, muito por conta da variante Delta, que foi detectada em 132 países”, diz Ghebreyesus.

Ainda de acordo com o diretor geral, o uso inconsistente das medidas de proteção, a retomada da rotina normal e a desigualdade na distribuição de vacinas são algumas das razões para o novo aumento. 

continua após publicidade

Os responsáveis pela organização defenderam, novamente, o esforço coletivo. Eles pediram a ajuda de todos os países, principalmente os mais ricos, para melhorar a distribuição de imunizantes.

Enquanto algumas nações já estão com a vacinação bastante adiantada e aplicando doses em adolescentes, a vacinação está atrasada na África e a OMS acredita que não será possível vacinar nem 10% da população do continente até o final do ano.

“Isso deveria ser uma cicatriz nas nossas consciências. A decisão de vacinar não está com os países africanos, e sim nas mãos dos CEOs das farmacêuticas, dos países onde as vacinas são fabricadas e das nações que fecharam mais acordos do que precisam”, afirmou Bruce Aylward, conselheiro sênior para o diretor-geral.

“A questão não é se o mundo pode fazer o investimento de vacinar toda a população, mas se pode não fazê-lo”, completou Ghebreyesus.