MAIS LIDAS
VER TODOS

Cotidiano

Novos vestígios de urbanização do Pacaembu são encontrados em escavações da linha 6-Laranja

As escavações para a construção da Linha 6-Laranja do Metrô já encontraram milhares de itens arqueológicos da história de São Paulo. Alguns dos mais novos, encontrados no início deste mês, após a chegada do "tatuzão" à futura Estação PUC-Cardoso de Almeid

Giovanna Castro (via Agência Estado)

·
Escrito por Giovanna Castro (via Agência Estado)
Publicado em 06.02.2024, 14:47:00 Editado em 06.02.2024, 14:51:18
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

As escavações para a construção da Linha 6-Laranja do Metrô já encontraram milhares de itens arqueológicos da história de São Paulo. Alguns dos mais novos, encontrados no início deste mês, após a chegada do "tatuzão" à futura Estação PUC-Cardoso de Almeida, são de uma estrutura que pertenceria à primeira rede de esgoto e drenagem do bairro do Pacaembu, fundado em 1925 pela Cia. City, empresa que construiu diversos bairros de São Paulo.

continua após publicidade

Os achados estão em um relatório ao qual oEstadãoteve acesso, de 2 de fevereiro, da A Lasca Arqueologia, empresa contratada pela concessionária da Linha 6, a Linha Uni, ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O bairro do Pacaembu é tombado pelo patrimônio histórico do Estado.

"A estrutura compreende um bueiro conectado à galeria de drenagem, exposto por ocasião de escavações no terreno que atingiram três metros de profundidade. Após a exposição, as atividades de obra no local foram suspensas para avaliação por parte da equipe de arqueologia", diz o relatório.

continua após publicidade

"A tampa do bueiro contém a marca da Cia. City, empresa que foi responsável pelo loteamento do bairro Pacaembu. Trata-se, portanto, de estrutura relacionada à urbanização do bairro, que ocorreu na primeira metade do século XX", continua o texto. No ano em que foi criado o bairro, ainda não existia a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), por isso a instalação de infraestrutura ficou a cargo da City.

O terreno fica na esquina entre as Ruas Itatiara e Armando A. Penteado, próximo ao Estádio do Pacaembu e a futura Estação FAAP-Pacaembu da Linha 6-Laranja.

Segundo a A Lasca Arqueologia, há água corrente na galeria de drenagem. A empresa diz, também no relatório, que realizou uma cobertura provisória do local, para protegê-lo de chuvas, e aguarda a análise da equipe do Iphan sobre os objetos arqueológicos.

continua após publicidade

Procurada peloEstadão, a Linha Uni disse que "os estudos arqueológicos realizados nos canteiros de obra da Linha 6-Laranja seguem a orientação do IPHAN, órgão gestor do patrimônio arqueológico nacional. O conteúdo dessas pesquisas vem sendo compartilhado através do Programa de Educação Patrimonial, a fim de que a pesquisa cumpra a sua função social".

A Linha 6-Laranja irá ligar a zona norte e o centro paulistano, da futura Estação Brasilândia até a São Joaquim, que hoje opera exclusivamente pela Linha 1-Azul. Após anos de obras paradas, os trabalhos arqueológicos foram retomados em 2021. Antes disso, em 2015 e 2016, já haviam sido identificados sítios na Freguesia do Ó, na zona norte, e Água Branca, oeste.

Ao menos 12 sítios arqueológicos foram identificados e registrados. Entre os principais, estão o Saracura Vai-Vai - com possíveis resquícios do antigo Quilombo Saracura - e o Lavapés, na Liberdade. Trilhos de bonde, louças, vidros e estruturas construtivas estão entre os itens que testemunham a industrialização e urbanização da capital paulista.

continua após publicidade

No final do ano passado, os relatórios da A Lasca Arqueologia documentaram, também, a descoberta de uma tubulação que possivelmente faz parte da galeria do córrego Saracura Grande, no Bixiga, onde está prevista a Estadão 14 Bis. O item arqueológico diz respeito ao processo de canalização do córrego.

Companhia City e a história do Pacaembu e de São Paulo

continua após publicidade

O bairro do Pacaembu fica na zona oeste de São Paulo, no Vale do Ribeirão Pacaembu, entre as altas encostas onde estão os vizinhos Higienópolis e Perdizes.

De acordo com o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat), sua implantação se deu a partir de 1925, quando a Companhia City começou a urbanizar uma região de 998.130 m², fazendo o arruamento, traçando os lotes e colocando-os à venda.

Uma das empresas mais tradicionais do ramo imobiliário, a City foi responsável pela construção de vários bairros de São Paulo, como os bairros-jardins da zona norte e o Jardim América, na zona oeste.

Segundo uma publicação do Jornal da USP sobre o papel da empresa no projeto urbanístico da cidade, a City executou "difíceis projetos de transformação do solo e inaugurando conceitos urbanísticos até então inéditos no Brasil". A Sabesp só foi criada, por exemplo, em 1975.

Na década de 1930, com a construção do Estádio do Pacaembu pela Prefeitura de São Paulo, o bairro do Pacaembu começou a atrair mais pessoas e, em 1941, a City adquiriu mais 400.000 m² da Santa Casa de Misericórdia.

"A primeira medida foi drenar os terrenos inundáveis e canalizar o ribeirão onde está assentada a larga e arborizada Avenida Pacaembu. Foram executados também trabalhos de terraplenagem com cortes e aterros para amenizar a declividade das encostas do vale", diz o Condephaat.

Por conta da sua relação forte com a história da cidade, o bairro foi tombado em 1991. "O tombamento abrange o atual traçado urbano, a vegetação arbórea, o padrão de ocupação do lote e o belvedere público localizado na Rua Inocêncio Unhate", informa o Condephaat./COLABOROU PRISCILA MENGUE

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Cotidiano

    Deixe seu comentário sobre: "Novos vestígios de urbanização do Pacaembu são encontrados em escavações da linha 6-Laranja"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
    Compartilhe! x

    Inscreva-se na nossa newsletter

    Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!