Cotidiano

Nobel de Física vai para três cientistas que estudam sistemas complexos

Da Redação ·

O Prêmio Nobel de Física de 2021 foi dividido entre três cientistas que estudam sistemas complexos. Uma metade do prêmio foi concedida ao japonês Syukuro Manabe e ao alemão Klaus Hasselmann que, segundo a instituição, "estabeleceram a base de nosso conhecimento sobre o clima da Terra e como a humanidade o influencia". A outra metade ficou com o italiano Giorgio Parisi por suas contribuições revolucionárias à teoria de materiais desordenados e processos aleatórios.

continua após publicidade

Um sistema complexo de vital importância para a humanidade é o clima da Terra. Syukuro Manabe demonstrou como o aumento dos níveis de dióxido de carbono na atmosfera leva ao aumento da temperatura na superfície da Terra. Na década de 1960, ele liderou o desenvolvimento de modelos físicos do clima da Terra e foi a primeira pessoa a explorar a interação entre o balanço de radiação e o transporte vertical de massas de ar. Seu trabalho lançou as bases para o desenvolvimento dos modelos climáticos atuais.

Cerca de dez anos depois, Klaus Hasselmann criou um modelo que liga o tempo e o clima. Isso explica por que os modelos climáticos podem ser confiáveis, apesar do tempo ser mutável e caótico. Ele também desenvolveu métodos para identificar sinais específicos que os fenômenos naturais e as atividades humanas imprimem no clima. Seus métodos têm sido usados ara provar que o aumento da temperatura na atmosfera é devido às emissões humanas de dióxido de carbono.

continua após publicidade

Por volta de 1980, Giorgio Parisi descobriu padrões ocultos em materiais complexos desordenados. Suas descobertas estão entre as contribuições mais importantes para a teoria dos sistemas complexos. A partir de seus estudos, é possível entender e descrever muitos materiais e fenômenos diferentes e aparentemente inteiramente aleatórios, não apenas na física, mas também em outras áreas muito diferentes, como matemática, biologia, neurociência e aprendizado de máquina.

O prestigioso prêmio vem com uma medalha de ouro e 10 milhões de coroas suecas (mais de R$ 6,1 milhões). Metade do valor será dividida entre Syukuro Manabe e Klaus Hasselmann e a outra metade ficará com Giorgio Parisi. O prêmio em dinheiro vem de uma herança deixada pelo criador do prêmio, o inventor sueco Alfred Nobel, que morreu em 1895.