Cotidiano

Mulher é indiciada por matar o filho recém-nascido queimado

Por não conseguir abortar, a mulher matou e queimou o próprio filho

Da Redação ·

Nesta segunda-feira (24), o Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) anunciou o resultado de um inquérito de uma mulher, de 24 anos. Ela é acusada de matar o próprio filho recém-nascido queimado em um terreno baldio, no município de Anápolis, em Goiás. A investigada foi indiciada por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver. 

continua após publicidade

O caso

A polícia utilizou o registro de uma câmera de segurança para apurar os fatos. Nas imagens, a jovem aparece estacionando um veículo em frente a um terreno baldio. Ela sai do automóvel com o bebê e o álcool para atear fogo no local. 

continua após publicidade

No último dia 12, as autoridades tiveram conhecimento sobre o caso após um cachorro de rua localizar a vítima e sair com o corpo dela pelas ruas do bairro. Uma moradora percebeu que se tratava de um corpo e acionou a polícia. 

A acusada do crime foi presa e levada para uma unidade prisional em Aparecida de Goiânia. Segundo alguns laudos realizados, o recém-nascido já estava morto quando foi carbonizado. Em depoimento, a jovem disse que não sabia se a criança estava viva ou não, pois não teve coragem de abrir a caixa para se despedir.

De acordo com a perícia, no entanto, o recém-nascido morreu por asfixia. A investigação descobriu, ainda, que o lote escolhido para queimar a criança pertence a um irmão da mulher, que mora no exterior.

Com informações; Ric Mais.