Cotidiano

Mulher descobre câncer ao investigar espinha que não sumia

A americana tomou coragem para aceitar a cicatriz no rosto e decidiu compartilhar a experiência nas redes sociais

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Mulher descobre câncer ao investigar espinha que não sumia
fonte: Reprodução/Instagram

Uma mulher estava incomodada com uma espinha nariz que nunca desaparecia. A fim de acabar com o problema, Melissa Fife, de 40 anos, foi a um cirurgião plástico e acabou descobrindo que se tratava de algo mais grave. Ela foi encaminhada para um dermatologista, que a diagnosticou com câncer de pele

continua após publicidade

De acordo com a especialista em marketing, os médicos acreditavam que uma cirurgia superficial seria o suficiente para dar fim ao tumor, porém, durante o procedimento, notaram que o câncer era mais profundo do que o esperado. 

Melissa foi submetida a uma cirurgia que durou cerca de 10h. Além disso, o procedimento resultou em um buraco em seu nariz, que precisou ser coberto com um enxerto de pele retirado de sua clavícula. 

continua após publicidade

Ela concedeu uma entrevista ao jornal The Sun e falou a respeito do caso. “Eu não queria ver a ferida, achava que seria muito traumático e chorei muitas vezes pensando nisso. Meus familiares me ajudaram muito trocando os curativos sem que eu precisasse olhar”, conta.

Durante a recuperação, a narina dela cedeu, e Melissa precisou passar por mais uma cirurgia. “Parecia que era uma peça de pele seca de zumbi costurada no meu rosto”, afirma.

Desde então, a americana tomou coragem para aceitar a cicatriz no rosto e decidiu compartilhar a experiência nas redes sociais. O objetivo dela é mostrar que a cura leva tempo, mas a vida continua e a mudança é inevitável. “Sou mais feliz, ousada e não tenho vergonha de como pareço. O mais importante é que sou grata todos os dias pela chance de me recuperar”, explica.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News