Cotidiano

Morto em abordagem da PRF foi parado por estar sem capacete

O homem, que tinha problemas mentais, morreu após ser trancado por agentes da PRF no porta-malas de uma viatura e aspirar um gás

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, morto durante uma abordagem da Polícia Rodoviária Federal (PRF) ao ser trancado dentro de uma viatura com um gás, que, segundo um laudo preliminar do Instituto Médico Legal (IML), causou uma asfixia, foi parado por quatro agentes da corporação por estar pilotando uma motocicleta, na BR-101, em Umbaúba, Sergipe, sem capacete. 

continua após publicidade

De acordo com o boletim de ocorrência, a equipe da PRF “visualizou uma motocicleta de placa OUP0J89/SE sendo conduzida por um indivíduo sem capacete de segurança, motivo pelo qual procedeu à sua abordagem. Foi dado o comando para que o condutor desembarcasse da moto e levantasse a camisa, como medida de segurança, no entanto a ordem foi desobedecida, levantando o nível de suspeita”.

O caso

continua após publicidade

Um homem, identificado como Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, morreu após ser trancado por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no porta-malas de uma viatura e aspirar um gás. O caso ocorreu na tarde dessa quarta-feira (25), em Umbaúba, Sergipe. Familiares informaram que o homem tinha problemas mentais.

Genivaldo foi abordado, de acordo com as informações de um parente, na BR-101, quando pilotava um motocicleta. Os policiais ordenaram ao homem que ele levantasse as mãos e, durante a revista, encontraram algumas cartelas de comprimidos no bolso dele. Ainda segundo o familiar, Santos tomava medicamentos. 

Genivaldo ficou nervoso e questionou os policiais, que fizeram uso de spray pimenta e o colocaram no porta-malas do camburão. Ainda conforme a testemunhas, foi nesse momento que os agentes lançaram outro tipo de gás contra o homem, que já havia sido colocado no porta-malas. 

continua após publicidade

Genivaldo foi levado para a delegacia da Polícia Civil, onde foi constatado que a vítima estava desacordada. O homem ainda foi levado a um hospital, mas não resistiu. O corpo foi levado para perícia no Instituto Médico Legal (IML) de Aracaju.

A família registrou boletim de ocorrência na delegacia de Umbaúba. Familiares da vítima e testemunhas já foram ouvidas, mas, por envolver agentes federais, a investigação deve ser repassada à Polícia Federal.

A PRF emitiu uma nota e, segundo o comunicado, Genivaldo resistiu à abordagem e precisou ser contido com armas não letais. Ainda segundo a PRF, a ocorrência foi registrada e a Polícia Judiciária vai apurar o caso. A PRF abriu procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos envolvidos.

continua após publicidade

Laudo do IML

O corpo da vítima foi submetido a uma necropsia no IML de Sergipe e o exame apontou que Genivaldo morreu por asfixia mecânica e insuficiência respiratória aguda. 

continua após publicidade

A morte do homem foi confirmada pela Secretaria de Segurança Pública na manhã desta quinta-feira (26). 

Ainda segundo o órgão público, mais exames devem ser realizados, porém, o corpo já foi liberado para o velório, que acontece na casa de sua mãe, no povoado Mangabeira, em Santa Luzia do Itanhy. A vítima era casada e deixa um filho.

De acordo com a família, o homem tinha esquizofrenia e tomava remédios controlados há cerca de 20 anos.

continua após publicidade

O que diz a PRF

Leia na íntegra o que diz a nota da PRF:

"Na data de hoje, 25 de maio de 2022, durante ação policial na BR-101, em Umbaúba-SE, um homem de 38 anos, resistiu ativamente a uma abordagem de uma equipe PRF. Em razão da sua agressividade, foram empregados técnicas de imobilização e instrumentos de menor potencial ofensivo para sua contenção e o indivíduo foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil em Umbaúba.

Durante o deslocamento, o abordado veio a passar mal e socorrido de imediato ao Hospital José Nailson Moura, onde posteriormente foi atendido e constatado o óbito.

A equipe registrou a ocorrência na Polícia Judiciária, que irá apurar o caso. A Polícia Rodoviária Federal em Sergipe lamenta o ocorrido e informa que foi aberto procedimento disciplinar para averiguar a conduta dos policiais envolvidos".

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News