Cotidiano

Menino de 7 anos é rendido e baleado durante confronto no Rio

Da Redação ·

Um menino de 7 anos, rendido e usado como escudo por criminosos durante um confronto com a Polícia Militar, foi baleado durante uma troca de tiros em Vicente de Carvalho, na zona norte do Rio de Janeiro, na manhã desta terça-feira, 12. Atingido na região pélvica, ele foi socorrido e submetido a cirurgia, e até as 15h30 estava em estado grave.

continua após publicidade

Rafael Capela da Silva Gabriel saiu de casa com os pais, de carro, por volta das 7 horas. O pai dele, Flávio Miranda, foi levar a mulher ao trabalho e já estava voltando, a duas quadras de casa, na rua Agrário Menezes, quando dois homens armados abordaram o veículo e entraram.

Segundo a polícia, eles estavam sendo perseguidos por PMs e tentavam fugir. Houve tiroteio com os policiais e o menino foi atingido.

continua após publicidade

Os dois criminosos também foram baleados - um deles morreu na hora e o outro foi preso e conduzido ao hospital estadual Getúlio Vargas, na Penha, na zona norte. Até a tarde desta terça-feira, a polícia não havia divulgado o nome dos dois.

O menino também foi levado para o mesmo hospital, logo ao chegar se submeteu a uma cirurgia e, segundo familiares, está em estado grave.

O pai, que saiu ileso do confronto entre criminosos e policiais, acompanha a situação do filho, no hospital.

continua após publicidade

À imprensa ele falou sobre a situação e pediu que as pessoas doem sangue, no Hemorio: "Meu filho só tem sete anos e foi baleado. Está em estado crítico. Eu peço a todos que estejam no Hemorio em massa para doar sangue. Eu peço a Deus, do fundo do coração, quem é pai, quem não é, de atender esse apelo de doar sangue."

Em nota, a PM afirmou que a região passa por uma disputa entre quadrilhas de criminosos rivais desde a semana passada e que o policiamento foi reforçado.

Baleada

continua após publicidade

Uma mulher de 18 anos morreu atingida por uma bala perdida na favela Cebolô, no bairro Arsenal, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, na manhã de segunda-feira, 11.

Segundo a PM, Andressa Barbosa Vianna voltava de um baile funk, a pé, enquanto policiais do 7º Batalhão (São Gonçalo) faziam ronda pela região. Criminosos passaram de moto e atiraram contra os policiais. Um dos disparos teria atingido Andressa.

Os policiais chamaram reforço e só quando um veículo blindado chegou e entrou na comunidade é que a moça foi encontrada ferida. Ela chegou a ser levada ao Hospital Estadual Alberto Torres, também em São Gonçalo, mas acabou morrendo.

Em nota, a Polícia Civil afirmou que "investigações estão em andamento na Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI) para apurar os fatos. As armas dos policiais militares que participaram da ação foram apreendidas. Os agentes realizam diligências em busca de informações que ajudem a identificar a autoria do crime e a origem do disparo que atingiu a vítima".