Cotidiano

Menino de 11 anos faz primeiros socorros e salva a mãe

A mãe de Giulio sofre de diabetes há 30 anos e, ao chegar em casa e encontrá-la desacordada, o garoto tomou iniciativas que surpreenderam a equipe do Samu

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Menino de 11 anos faz primeiros socorros e salva a mãe
fonte: Reprodução/TV TEM

Na cidade de Botucatu, em São Paulo, um menino de apenas 11 anos chamou a atenção por ajudar a salvar a mãe, que havia desmaiado, até a chegada da ambulância, neste final de semana.

continua após publicidade

"Vou te passar para a médica. Não é trote, né?". Essa foi a reação da atendente do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) da cidade, ao receber a ligação de Giulio, que soube descrever com precisão o que estava acontecendo com a mãe e pedir socorro.

O menino, que cursa o sexto ano e é fã do Samu, relatou na ligação que estava brincando na rua com colegas e que, quando retornou para casa, encontrou a mãe desmaiada. A mãe de Giulio, a auxiliar de enfermagem Giuliana Paola Martin de Amaral, de 45 anos, sofre de diabetes há 30 anos e o menino, ao percebê-la desacordada, realizou o teste de glicemia e verificou que o nível estava em 27 (muito baixo).

continua após publicidade

"É do Samu? Por favor, manda uma ambulância na rua [...]. Minha mãe está passando mal, ela tem diabetes, tá 27", disse o garoto.

Durante a ligação, Giulio deu pontos de referências bastante exatos sobre seu endereço, para facilitar para a equipe do Samu. Quando a atendente confirmou que não se tratava de um trote, muito comum entre crianças, pediu que ele apenas  "aguardasse a chegada da viatura". Porém não foi isso que aconteceu.

O menino, que até mesmo possui um carrinho do Samu tamanha a admiração, tomou a iniciativa de desligar a bomba de insulina que a mãe usa para evitar que o medicamento seguisse sendo injetado no organismo da mulher.

continua após publicidade

Giulio também mobilizou os amigos que brincavam na rua com ele para que cooperassem no deslocamento da ambulância até a sua casa, apontando a localização exata para a equipe. Além disso, o menino providenciou que os cachorros de grande porte que vivem em sua casa estivessem contidos com focinheiras para que fosse evitado um possível ataque aos socorristas do Samu.

"Ele foi um herói, o menino tem todo o perfil de um socorrista, ele pode ser considerado um socorrista mirim", afirma Carlos Costa, um dos socorristas que atendeu a ocorrência.


Fonte: Informações do g1.