Cotidiano

Menina contrai gonorreia após mergulhar em piscina termal

A criança, de 11 anos, contraiu uma doença sexualmente transmissível (DST)

Da Redação · GoogleNews

Siga o TNOnline
no Google News

Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
Imagem ilustrativa da notícia Menina contrai gonorreia após mergulhar em piscina termal
fonte: Reprodução

Um caso fora do comum ocorreu após uma menina de 11 anos mergulhar em uma piscina termal, na Itália. A criança contraiu uma infecção sexualmente transmissível (IST), a gonorreia. 

continua após publicidade

Depois de dois dias, os sintomas da doença começaram a se manifestar na jovem. Ela sentiu ardência na região da vagina. 

Rapidamente, a família a encaminhou para um médico para descobrir o que estava acontecendo. Então, os responsáveis pela menina receberam a orientação de administrar antifúngicos. 

continua após publicidade

Entretanto, após duas semanas, a criança ainda sentia dor e teve que retornar ao médico, onde descobriu que havia contraído uma IST. Ela afirmou que não teve relações sexuais. Ao constatarem o diagnóstico dela, os familiares também realizaram exames para saber se haviam se infectado com a doença, porém, os testes negativaram. 

A menina foi tratada com antibióticos e já é considerada curada.

O caso foi descrito na revista científica Journal of Medical Case Reports. De acordo com os médicos que atenderam a criança, a temperatura morna da água pode criar um ambiente ideal para a proliferação de bactérias, como a Neisseria gonorrhoeae, responsável pela gonorreia. Este não é o primeiro caso documentado de crianças infectadas após banho em piscinas públicas.

continua após publicidade

Segundo estudos, uma a cada 10 pessoas contaminadas nem sequer sente os sintomas da infecção. Os sinais mais comuns da gonorreia são dor ao urinar e secreção vaginal – em alguns casos, pode acontecer sangramento fora do período menstrual e dor pélvica.

Sem tratamento, a gonorreia pode causar infertilidade, doença inflamatória pélvica e artrite infecciosa. Para controlar a bactéria, são usados antibióticos, e o quadro pode ser resolvido em menos de uma semana.

Com informações; Metrópoles.