MAIS LIDAS
VER TODOS

Cotidiano

Marina Silva reconhece divisão sobre proteção ambiental, em meio à exploração de petróleo

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, reconheceu uma divisão entre líderes políticos e econômicos em relação à proteção ambiental. A declaração ocorre em meio ao debate em relação à exploração de petróleo próximo à Foz do rio Amazonas."Nossos líderes

Sofia Aguiar e Caio Spechoto (via Agência Estado)

·
Escrito por Sofia Aguiar e Caio Spechoto (via Agência Estado)
Publicado em 05.09.2023, 17:26:00 Editado em 05.09.2023, 17:32:34
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, reconheceu uma divisão entre líderes políticos e econômicos em relação à proteção ambiental. A declaração ocorre em meio ao debate em relação à exploração de petróleo próximo à Foz do rio Amazonas.

continua após publicidade

"Nossos líderes políticos e econômicos estão divididos, uma parte entende a necessidade de proteção e outra parte ainda vê a Amazônia como um depositário de recursos a serem explorados como se fossem infinitos", declarou a ministra, em cerimônia de celebração ao Dia da Amazônia, nesta terça-feira, 5, no Palácio do Planalto.

No discurso, Marina disse que o Brasil pode produzir energia limpa e ser um grande exportador de sustentabilidade.

continua após publicidade

Em maio, o Ibama negou licença para a perfuração do poço no bloco pela Petrobras. O órgão argumentou, entre outros pontos, que era necessária a realização de estudos de caráter estratégico - a Avaliação Ambiental de Área Sedimentar - na bacia da foz do Amazonas. O indeferimento da licença foi assinado no dia 17 daquele mês pelo presidente do órgão, Rodrigo Agostinho.

O Ministério de Minas e Energia discordou da avaliação e pediu então o parecer técnico da Advocacia-Geral da União (AGU).

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, já defendeu o empreendimento. No início de agosto, ele disse querer "continuar sonhando" com a exploração de petróleo na região.

continua após publicidade

Já o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, vem defendendo com ênfase a realização de pesquisas exploratórias na Margem Equatorial.

Ambientalistas veem risco de danos aos biomas. No governo, o assunto testa a força e influência de Marina.

A ministra já disse que o processo de exploração de petróleo na região é "complexo", mas defendeu que a última palavra sobre autorização ambiental é do Ibama. Ela já classificou como "injustas" as críticas de que o Ibama teria adotado uma postura política e ideológica ao negar à Petrobras a licença para a perfuração na foz do Amazonas.

continua após publicidade

No final de agosto, a AGU divulgou parecer técnico favorável a estudos que podem levar à exploração de petróleo na bacia da Foz do Rio Amazonas.

O parecer pela autorização contraria a posição do Ministério do Meio Ambiente.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Cotidiano

    Deixe seu comentário sobre: "Marina Silva reconhece divisão sobre proteção ambiental, em meio à exploração de petróleo"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
    Compartilhe! x

    Inscreva-se na nossa newsletter

    Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!