Cotidiano

Manvailer é condenado a 31 anos pela morte de Tatiane Spitzner

Da Redação ·

O professor de Biologia Luis Felipe Manvailer foi condenado pela morte da mulher, a advogada Tatiane Spitzner, em julho de 2018, em Guarapuava, Paraná. Ele vai cumprir pena por fraude processual, feminicídio e ainda terá de pagar multa de R$ 100 mil por danos morais para a família da vítima. Ele, que não poderá recorrer da pena em liberdade, foi acusado de asfixiar a mulher e jogá-la do 4º andar do prédio onde moravam.

continua após publicidade

A pena é de 31 anos, 9 meses e 18 dias. O julgamento, conduzido pelo magistrado André Scussiatto, durou sete dias. Manvailer continuará detido no Presídio Industrial de Guarapuava, onde já está preso há dois anos e nove meses.

Durante seu depoimento no domingo, 9, Manvailer chegou a pedir desculpas à família de Tatiane pelas agressões, comprovadas por meio de câmeras de segurança, mas negou assassinato.

continua após publicidade

Antes da decisão, o júri chegou a ser adiado por duas vezes, mas nessa terceira tentativa - que definiu a condenação - foram ouvidas 14 testemunhas e dois assistentes técnicos.