Cotidiano

Líder de caminhoneiros já fala em parar o Brasil

Wanderlei Alves, o Dedeco, afirmou que o Brasil tem que parar em protesto contra o aumento dos combustíveis.

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Líder de caminhoneiros já fala em parar o Brasil
fonte: Redes Sociais

Um dos principais líderes da greve de caminhoneiros de 2018, Wanderlei Alves, o Dedeco, afirmou nesta quinta (10) que o Brasil tem que parar em protesto contra o aumento dos combustíveis divulgado pela Petrobras – de 18,8% para a gasolina, 16,1% para o gás de cozinha e 24,9% para o diesel nas refinarias. “Os caminhoneiros autônomos e os empresários de transporte têm que se unir e parar o país. Ninguém vai aguentar. As transportadoras que têm 500, mil caminhões, com milhares de funcionários para pagar, vão quebrar”, afirmou ele para a colunista da Folha de São Paulo, Mônica Bergamo.

continua após publicidade

Em Mato Grosso, onde parou o caminhão que está dirigindo para abastecer e seguir viagem até Presidente Prudente, em São Paulo, ele afirma que pagou R$ 6,8 o litro. “E agora vai para mais de R$ 8”, protesta.

“Eles já tiveram um lucro absurdo, doentio com os aumentos mais recentes, e estão ficando milionários às custas da tragédia de todos nós. Só quem está feliz hoje no país são os investidores da Petrobras”, afirmou.

continua após publicidade

Alta na região já provoca filas

Um grande movimento de veículos foi registrado na tarde desta quinta-feira (10), nos postos de combustíveis de Apucarana, após a Petrobras anunciar reajuste de 18,8% no valor da gasolina comum para as distribuidoras. A notícia assustou consumidores e gerou corre-corre nos estabelecimentos que ainda não atualizaram o valor do produto nas bombas. Para ver a matéria completa, clique aqui.

Com informações Bem Paraná e Agência.