Cotidiano

Justiça do Rio começa julgar PM acusado pela morte da menina Ágatha Félix

Da Redação ·

Quase dois anos e meio após o crime, a Justiça do Rio começou a julgar o policial militar acusado de efetuar o disparo que matou a menina Ágatha Félix, que tinha apenas 8 anos. Ela estava indo para casa dentro de uma Kombi, ao lado da mãe, quando foi atingida por um tiro de fuzil no Morro da Fazendinha, no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio.

continua após publicidade

O inquérito da Polícia Civil apontou o Rodrigo José de Matos Soares como autor de disparo. Na quarta-feira, 9, o PM participou da audiência de instrução sobre o caso. Foi a primeira vez que a mãe de Ágatha, Vanessa Francisco Salles, ficou frente a frente com o acusado.

Ágatha foi morta em setembro de 2019. Na ocasião, ela voltava para casa e policiais militares faziam um patrulhamento pelo Complexo do Alemão. Foi então que uma moto com dois suspeitos passou pelos PMs, que dispararam contra a dupla. Um dos tiros, porém, acabou atingindo a menina.

continua após publicidade

Na primeira audiência de quarta-feira, o motorista da Kombi disse em depoimento que viu o momento em que o PM atirou contra a moto. Ele reconheceu Rodrigo Soares como o autor do disparo.

O policial foi denunciado pelo Ministério Público do Rio (MP- RJ) ainda em dezembro de 2019 por homicídio qualificado. O julgamento, porém, começou apenas esta semana após três adiamentos. A próxima audiência está prevista para março.