Cotidiano

Inusitado: academia que permite malhar pelado chega ao país

As academias pretendem ampliar os horários, pois muitos alunos estão aderindo a prática

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Inusitado: academia que permite malhar pelado chega ao país
fonte: Vitor Freitas/Unsplash
Inusitado: academia que permite malhar pelado chega ao país

Uma tendência fora do comum chegou recentemente ao Brasil: academias que permitem que os alunos pratiquem exercícios físicos nus. A prática se iniciou na França e chegou às terras brasileiras tendo horários concorridos. 

continua após publicidade

Por conta do sucesso, a rede de academias "Running Wild", que foi pioneira no ramo e já é seguida por outras 12 academias de São Paulo, planeja ampliar os horários para evitar lotação. 

“Foi o que aconteceu na França no momento da implantação. Algumas pessoas criam coragem e começam a treinar, no início é difícil, mas quando a pessoa percebe o resultado do treinamento nu, nada mais importa”, diz Marcelo Dragone, personal trainer responsável por trazer o método para a rede. 

continua após publicidade

Este método de treino ganhou força após um estudo feito por fisiologistas franceses. A análise apontou que os exercícios sem roupas queimam 70% mais calorias, além de liberarem mais do que o dobro de hormônios inerentes ao esporte praticado. 

"Durante 2 anos treinando vestido eu nunca obtive os resultados que eu queria. Todos os meus colegas de faculdade puxavam 90 quilos no supino e eu nunca chegava a essa marca. Sempre treinarei nu daqui para frente. Roupa agora só no vestiário”, contou Adão Cruz, primeiro aluno do personal Marcelo Dragone na prática de academia sem roupas.

Os cuidados para quem quer começar na prática de academia sem roupas se resumem em usar desodorante e tomar cuidado nas posições constrangedoras nos aparelhos, principalmente para a ereção de homens, que devem ser sempre evitadas.

continua após publicidade

Além disso, fotos são proibidas para preservar os usuários. 

As informações são do Correio Braziliense.