Cotidiano

Idoso morre na porta do INSS enquanto aguardava perícia médica

José Tomás, de 61 anos, teve um AVC em frente à agência. Segundo a família, era a terceira vez que o homem ia até o INSS tentar um auxílio-doença

Da Redação ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas José Tomás já estava sem vida quando os socorristas chegaram
fonte: Lorena Cabral/Inter TV dos Vales
O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas José Tomás já estava sem vida quando os socorristas chegaram

Nesta sexta-feira (24), um idoso passou mal e morreu enquanto aguardava atendimento no INSS, no município de Governador Valadares, no Estado de Minas Gerais. Segundo a família da vítima, era a terceira vez que o vigilante José Tomás da Silva, de 61 anos de idade, ia até à agência tentar conseguir um auxílio-doença.

continua após publicidade

“Ele teve um AVC em março, aí veio tentando afastar até aposentar. A própria situação que aconteceu hoje prova que ele não tinha condições nenhuma de trabalhar. Nenhuma das três tentativas foi alcançada, alcançou foi a morte dele”, desabafa o enteado, Alexandro Pereira Viana.

Segundo ele, José estava com uma perícia agendada para 08h40 e saiu de casa cedo, por volta de 07h, acompanhado da enfermeira que cuidava dele. Quando já estava na porta da agência, ele começou a sentir fraqueza e passar mal, mas nenhum funcionário do INSS apareceu para prestar socorro.

continua após publicidade

“Antes de ele falecer, nós pedimos ajuda, que lá dentro tem médico, e os médicos não vieram atender e ele morreu aqui na porta do INSS. Isso durou uns 10 minutos, poderiam ter atendido, feito alguma coisa. O vigilante trouxe um sal e colocou na boca dele, mais nada, os médicos não fizeram nada. Agora a médica tá ali, vai resolver o quê?”.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegou a ser acionado, mas José Tomás já estava sem vida quando os socorristas chegaram. O corpo foi recolhido por uma funerária por volta de 09h.


continua após publicidade

O que diz o INSS

A equipe de reportagem do g1 entrou em contato com o INSS  da cidade para comentar o caso. Leia a nota enviada pelo órgão na íntegra:

"O INSS lamenta o falecimento do senhor José Tomaz da Silva, ocorrido nesta sexta, dia 24. Sobre a situação do atendimento previdenciário ao segurado, o INSS esclarece que:

continua após publicidade

1) O segurado tinha perícia médica agendada para 8h40 e chegou à Agência do INSS de Gov. Valadares às 7h, portanto, uma hora e quarenta minutos antes do horário agendado;

2) Segundo relatos, o senhor já estava se sentindo mal, tendo sido orientado por um dos peritos médicos, que chegava ao trabalho naquele momento, que a acompanhante solicitasse o atendimento de urgência do Serviço Móvel de Urgência SAMU. No entanto, a família optou por aguardar a realização da perícia médica e, posteriormente, acionar o atendimento médico de urgência;

continua após publicidade

3) Diante desse quadro, a perita médica responsável antecipou o horário da perícia para 7h30. Entretanto, antes mesmo de entrar na Agência, ele veio a óbito;

4) Segundo a acompanhante, o segurado fazia uso constante de oxigênio. Entretanto, o cilindro foi esquecido e uma das pessoas que o acompanhava saiu do local para buscá-lo, sem sucesso, visto que, antes da sua chegada com o cilindro, o segurado havia falecido;

5) Informamos que as Agências da Previdência Social não possuem recursos materiais para atendimentos de urgência, uma vez que não se trata de estabelecimento de prestação de serviços em saúde, motivo pelo qual o protocolo utilizado é o acionamento do SAMU, o que prontamente foi feito;

6) Por fim, mais uma vez, o INSS reitera pesar pelo ocorrido."


Fonte: Informações do g1.

GoogleNews

Siga o TNOnline no Google News