Cotidiano

Iata planeja lançar passe de saúde digital no primeiro trimestre de 2021

Da Redação ·

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata) planeja lançar já no primeiro trimestre de 2021 um passaporte de saúde digital via aplicativo para iOS e Android que poderá substituir o passaporte e, inclusive, acomodar informações sobre saúde dos passageiros, como testes de covid-19. A solução, chamada de Travel Pass, começará a ser testada na semana que vem, segundo o vice-presidente de segurança e carga de passageiros em aeroportos da Iata, Nick Careen.

continua após publicidade

"Estamos confiantes com a solução. Ela é eficiente e está quase pronta para ser liberada. No início de janeiro vamos usar um piloto completo e depois vamos testar em alguns países ao redor do mundo", disse, durante evento com jornalistas, na manhã desta quarta-feira (16).

O Iata Travel Pass vai gerenciar e verificar um fluxo seguro de informações necessárias sobre testes ou vacinas entre governos, companhias aéreas, laboratórios e viajantes. A estrutura, segundo Careen, está projetada para proteger os dados dos passageiros. "Não há centro de dados, eles não vão ser armazenados em uma central", disse, apontando ferramentas para proteger a troca de informações quando ela foi necessária.

continua após publicidade

O objetivo é usar o aplicativo como um avanço no setor que permanecerá após a pandemia. Pesquisa da Iata apontou que 70% dos passageiros têm receio de entregar passaporte, telefone ou cartões de embarque aos agentes das companhias aéreas ou de governos nos aeroportos. Além disso, 85% dos passageiros apontaram que um sistema sem contato para processar o embarque faria eles se sentirem mais seguros.

Hoje, 44% dos passageiros apontaram aceitar compartilhar dados para a criação de uma plataforma para facilitar o embarque sem contato ou troca de documentos. Em junho, esse porcentual era de 30%.

Careen foi questionado sobre o motivo de a Iata estar criando a tecnologia e se de alguma forma a associação não estaria competindo com os participantes do mercado. "Não nos vemos como competidores. Se fôssemos competidores, teríamos tentado monopolizar o mercado e não faríamos um trabalho 'open source'. A indústria precisa de ajuda. As aéreas e consumidores precisam de algo rápido e estamos na melhor posição para fazer isso", disse.

"Estamos em uma das maiores crises do setor e ninguém da indústria ira lembrar de 2020 com nostalgia", disse Alexandre de Juniac, diretor-geral da Iata. "O vírus continuará com a gente por um bom tempo e teremos de aprender a administrar o risco do covid-19. O Travel Pass é uma prioridade hoje", disse.