Cotidiano

Homem atira em vice-prefeito e realiza live após o crime

O comerciante e o vice-prefeito brigaram por conta de um vídeo com supostas denúncias de improbidade, envolvendo a esposa do político

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Homem atira em vice-prefeito e realiza live após o crime
fonte: Reprodução/Redes Sociais

A Polícia Militar (PM) realizou a prisão de um comerciante, no último domingo (13), acusado de ter efetuado disparos de arma de fogo contra o vice-prefeito de Atibaia, Fabiano Batista de Lima (PL), em São Paulo. 

continua após publicidade

De acordo com as informações da PM, os dois brigaram devido a um vídeo com supostas denúncias de improbidade, envolvendo a esposa do político. Fabiano e a companheira abriram um restaurante recentemente. O empresário alegava uma suposta fraude envolvendo o político, e passou a divulgar vídeos sobre o assunto.

As imagens, postadas nas redes sociais, deram início a uma discussão entre eles. O vice-prefeito foi até à residência do homem e o agrediu. O empresário, que estava armado, revidou efetuando diversos disparos contra Fabiano. A briga deles foi flagrada por uma câmera de segurança.

continua após publicidade

Depois de atirar no político, o comerciante fez uma transmissão ao vivo em sua rede social contando que havia feito disparos contra Fabiano Batista de Lima (PL). 

“Efetuei alguns disparos em legítima defesa. Ele veio para cima de mim, não teve o que fazer. Não sei o que vai acontecer, se eu vou ser preso. Tentou vir aqui me matar. Não sei se ele está ferido. Tá bom pessoal, acabei de chamar a polícia aqui. Ele me esfaqueou no braço, eu tentei segurar a faca, só que eu vi que ele estava com muita fúria, tentou me matar na garagem”, diz o homem em um trecho do vídeo. 

continua após publicidade

Após os tiros, o vice-prefeito foi socorrido e o comerciante chamou a Polícia Militar. Na delegacia, o caso foi registrado como tentativa de homicídio e comerciante foi preso em flagrante. A arma usada no crime estava regularizada, mas foi entregue à polícia para perícia.

A defesa do comerciante alegou que o caso se tratava de legítima defesa, que ele teria sido agredido pelas costas e não se recusou a colaborar com a polícia.

Com informações do g1.

Tags relacionadas: #Atibaia #São Paulo