Cotidiano

Greve de motoristas e cobradores de ônibus de SP acaba após acordo

Ítalo Lo Re (via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

A greve de ônibus chegou ao fim na capital paulista, segundo a Prefeitura de São Paulo informou na tarde desta terça-feira, 14. A paralisação de linhas de ônibus municipais foi encerrada às 15h20 após acordo entre as partes, ainda conforme o Município. O sindicato patronal, representado pela SPUrbanuss, acatou a reivindicação Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas), entidade que estava à frente dos motoristas e cobradores.

continua após publicidade

A paralisação, que teve início nesta madrugada, afetou ao menos 713 linhas e 6,5 mil ônibus, que transportariam 1,5 milhão de passageiros no pico da manhã. Conforme a SPTrans, o atendimento nas linhas paralisadas está sendo retomado de forma gradativa e deverá se normalizar até o fim do dia. A SPTrans monitora o retorno da frota da cidade para minimizar os impactos na população.

Conforme o SPUrbanuss, que representa os empresários do setor, o acordo se deu após parecer do Ministério Público do Trabalho, que teria considerado a greve legal e também a reivindicação do pagamento do reajuste de 12,47% a partir de maio. A reportagem solicitou acesso ao documento, mas ainda não foi atendido pelo MPT.

continua após publicidade

As negociações da campanha salarial dos condutores de São Paulo começaram em março, com diversas reuniões com o setor patronal. O pedido de 12,47% de reajuste salarial, referente ao índice do INPC/IBGE, foi aceito, mas só a partir de outubro - para não deflagrar a greve, o sindicato exigia que a proposta pagasse a data-base de 1º de maio.

Com o anúncio da paralisação, o Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2) determinou "a garantia da circulação de 80% do efetivo durante horários de pico (6h às 9h e 16h às 19h) e de 60% nos demais períodos". Em caso de descumprimento, haveria multa diária de R$ 50 mil.

"Não houve a manutenção, no período da manhã, dos 80% da frota necessária, conforme foi decidido pela Justiça trabalhista. E agora, na hora do entrepico, os 60% também não foram mantidos", disse ao Estadão secretário executivo de Transporte e Mobilidade Urbana, Gilmar Pereira Miranda.

continua após publicidade

A SPUrbanuss informou que a operação dos ônibus começou a ser retomada. A Prefeitura listou as empresas que começaram a retomar a operação:

Relação de empresas cuja frota está circulando gradativamente:

- Express (Zona Leste);

continua após publicidade

- Via Sudeste (Zona Sudeste);

- Gatusa (Zona Sul);

continua após publicidade

Relação de empresas com a operação paralisada em suas garagens:

- Santa Brígida (Zona Norte);

- Gato Preto (Zona Norte);

continua após publicidade

- Sambaíba (Zona Norte);

- Viação Metrópole (Zona Leste);

- Ambiental (Zona Leste);

continua após publicidade

- Campo Belo (Zona Sul);

- Viação Grajaú (Zona Sul);

continua após publicidade

- KBPX (Zona Sul);

- MobiBrasil (Zona Sul);

- Viação Metrópole (Zona Sul);

continua após publicidade

- Transppass (Zona Oeste); e

- Gato Preto (Zona Oeste).

Relação das empresas operando normalmente - Grupo Local de Distribuição:

continua após publicidade

- Norte Buss (Zona Norte)

- Spencer (Zona Norte)

- Transunião (Zona Leste)

- UPBUS (Zona Leste)

- Pêssego (Zona Leste)

- Allibus (Zona Leste)

- Transunião (Zona Sudeste)

- MoveBuss (Zona Leste)

- A2 Transportes (Zona Sul)

- Transwolff (Zona Sul)

- Transcap (Zona Oeste)

- Alfa Rodobus (Zona Oeste)