Cotidiano

Família raspa o cabelo para apoiar mulher com câncer

Existem inúmeras barreiras ao decorrer da vida, mas elas podem ser enfrentadas com maior facilidade quando se tem apoio

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Família raspa o cabelo para apoiar mulher com câncer
fonte: Rae Victor Ferraz/Arquivo Pessoal
Família raspa o cabelo para apoiar mulher com câncer

Existem inúmeras barreiras ao decorrer da vida, mas elas podem ser enfrentadas com maior facilidade quando se tem apoio. Este é o caso da dona de casa Maria Vitória Ferraz de Moura e Oliveira, de 29 anos, que foi diagnosticada, há cerca de um mês, com câncer de mama. Quando ela recebeu essa notícia ficou abatida, porém, ganhou forças de sua família para lutar contra a doença. 

continua após publicidade

Maria recebeu a notícia de que estava com a doença no dia 16 de agosto. Já no dia 6 de setembro, deu início ao processo de quimioterapia e, por conta deste tratamento, o cabelo dela começou a cair. Então, Maria, decidida, raspou o cabelo. 

Entretanto, ela acabou sendo surpreendida no último sábado (18). Sua família decidiu cortar o cabelo também, com o intuito de incentivá-la. “Foi uma surpresa, não esperava que todos eles fossem fazer. Foi uma surpresa muito linda, muito especial para mim”, conta Maria.

continua após publicidade

A família mora em Anápolis, Goiás, e decidiu se reunir no dia em que Maria Vitória cortou o cabelo. A cunhada, a sogra e o marido já tinham comentado, alguns dias antes, que raspariam o cabelo para demonstrar apoio. Mas, no dia, além deles, a mãe, o irmão, o sogro e outros cunhado se juntaram no simbolismo. 

Maria foi a última a cortar o cabelo. “Para mulher, cabelo é questão de vaidade. Eu falei que não me importaria se meu cabelo caísse, que faz parte do processo, eu sabia que eu ia passar por isso. Só que a gente ainda fica receoso. Na sexta-feira [17], quando meu cabelo começou a cair, eu chorei muito, não esperava que fosse incomodar tanto”.

“Na hora que todos eles fizeram, eu não me senti sozinho nessa luta, me senti bem acolhida”, completa.