Cotidiano

Ex-chefe de segurança espacial de Israel diz que ETs existem e Trump sabe disso

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Ex-chefe de segurança espacial de Israel diz que ETs existem e Trump sabe disso
fonte: divulgação e Getty
Ex-chefe de segurança espacial de Israel diz que ETs existem e Trump sabe disso

Haim Eshed, ex-chefe do diretório espacial do Ministério da Defesa de Israel, relatou que extraterrestres existem e que eles fizeram um acordo com os Estados Unidos. De acordo com Haim, o presidente Donald Trump tem conhecimento do caso.

continua após publicidade

As afirmações foram feitas ao jornal "Yediot Aharonot". “Há um acordo entre o governo dos Estados Unidos e os alienígenas. Eles assinaram um contrato conosco para fazer experimentos aqui”, disse o ex-chefe.

Conforme o ex-membro do governo israelense, o presidente dos EUA estava "prestes a revelar" as informações, mas acabou sendo impedido para não ocasionar uma "histeria em massa", pois o planeta terra não está pronto para tal notícia.

continua após publicidade

O presidente Trump fez alguns comentários, em meio a um evento da Força Espacial, em maio, que "o espaço vai ser o futuro, tanto em termos de defesa quanto de ataque".

“Eles [alienígenas] têm esperado até hoje que a humanidade se desenvolva e chegue a um estágio em que possamos entender, em geral, o que é espaço e nave espacial”, argumenta.

Haim Eshed é um ex-general, de 87 anos, aposentado do Exército de Israel também disse que os acordos entre os alienígenas e os Estados Unidos incluem uma "base subterrânea nas profundezas de Marte", onde estariam astronautas norte-americanos e extraterrestres.

continua após publicidade

De acordo com o ex-militar, os alienígenas pretendem conhecer "a estrutura do universo". 

"Os Objetos Voadores Não Identificados pediram para não publicar que estão aqui, a humanidade ainda não está pronta", avisou Eshed.

Questionado o motivo de não ter revelado a informação enquanto comandava projetos de lançamentos de satélites de Israel ao espaço, Eshed justificou que agora as pessoas parecem mais receptivas ao tema. 

continua após publicidade

"Se eu tivesse dito o que estou dizendo hoje cinco anos atrás, teria sido hospitalizado. Hoje já estão falando diferente. Não tenho nada a perder. Recebi meus diplomas e prêmios, sou respeitado nas universidades do exterior.”

Com informações; CNN.