Cotidiano

EUA vacinará crianças de 5 a 11 anos contra o coronavírus

Os especialistas acreditam que apesar de as crianças não estarem no maior grupo de risco para a Covid-19, eles podem pegar a doença e repassar para outras pessoas

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia EUA vacinará crianças de 5 a 11 anos contra o coronavírus
fonte: Divulgação/Sesapi
EUA vacinará crianças de 5 a 11 anos contra o coronavírus

Os Estados Unidos, por meio da agência de saúde Food and Drug Administration (FDA), aprovou a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra à Covid-19. Dos 18 membros do painel da FDA, 17 votaram a favor e um se absteve. 

continua após publicidade

Os EUA apenas aguardam a autorização do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) para começar a administrar as doses nas crianças. A escolha da FDA ocorreu após uma reunião, que durou quase um dia, e apurou os riscos e benefícios das vacinas para este público. 

Foram levantadas dúvidas sobre os efeitos adversos raros em crianças, mas os especialistas decidiram que são os pais que devem tomar a decisão sobre a aplicação da vacina. Foi decidido que o imunizante não será obrigatório para esta faixa etária

continua após publicidade

“Acho que precisamos do imunizante como uma ferramenta no nosso arsenal para crianças em alto risco, para fins de igualdade, e para parentes que realmente queiram proteger seus filhos. A longo prazo, há muitas implicações no funcionamento das escolas”, afirmou Mark Sawyer, um dos membros do painel, antes de entrar na reunião.

Conforme especialistas, as crianças não correm um alto risco de morte pela doença, porém, elas se infectam e podem repassar a doença para outras pessoas. Também foram apresentados dados que mostram o aumento na quantidade de pessoas nessa faixa etária que foram contaminadas nos últimos meses.

A vacina da Pfizer deverá ser utilizada para imunizar este grupo. Segundo a empresa, as crianças devem receber uma dose menor da vacina, que pode ser mais de 90% efetiva contra o coronavírus. 

continua após publicidade

De acordo com o governo americano, após a autorização formal do FDA e do CDC, 15 milhões de doses reduzidas serão entregues e a aplicação pode começar já na primeira semana de novembro.

Com informações; Metrópoles.