Cotidiano

Dor de garganta é o sintoma mais comum da Ômicron

Cientistas apontam que a variante tem maior probabilidade de infectar a garganta do que os pulmões

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Dor de garganta é o sintoma mais comum da Ômicron
fonte: Pixabay

Considerando que a recomendação é estar preparado, vale levantar olhares para dados revelados recentemente pelo projeto Zoe COVID Symptom Study, que concluem que a dor de garganta é o sintoma mais comum da variante. Com informações do Canaltech.

continua após publicidade

O projeto britânico se concentra em registrar o que sentem as pessoas infectadas pela doença, e até o fim de dezembro, 57% das pessoas com Ômicron relataram dor de garganta. A análise não encontrou diferenças muito claras entre os sintomas dessa variante com a Delta, de modo que apenas 50% das pessoas teve os três sintomas clássicos de febre, tosse ou perda de olfato e paladar.

O relatório aponta que a perda de olfato e paladar se tornou menos comum. Cientistas vêm apontando que a variante tem maior probabilidade de infectar a garganta do que os pulmões. Enquanto isso, um estudo preliminar publicado na plataforma MedRxiv no último dia 19 sugere que, em uma pessoa infectada pela Ômicron, a carga viral atinge o pico na saliva um a dois dias antes de atingir o pico na área do nariz.

continua após publicidade

Sintomas mais comuns da Ômicron:

Dor de garganta

Dores musculares ou no corpo

continua após publicidade

Dor de cabeça

Cansaço extremo

Febre

continua após publicidade

Calafrios

Tosse

continua após publicidade

Falta de ar

Congestão nasal ou coriza

Náusea ou vômito

Diarreia

Perda de paladar ou olfato

As informações são do Canaltech

Tags relacionadas: #COVID-19 #ômicron #PANDEMIA