Cotidiano

Covid: Saúde aplicará apenas uma dose da vacina em 2022

As pessoas de 18 a 60 anos receberão apenas uma dose da vacina em 2022

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Covid: Saúde aplicará apenas uma dose da vacina em 2022
fonte: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Covid: Saúde aplicará apenas uma dose da vacina em 2022

O Ministério da Saúde, gerenciado pelo ministro e médico cardiologista Marcelo Queiroga, falou sobre a vacinação contra à Covid-19 no próximo ano. Conforme a pasta, deve ocorrer algumas mudanças na campanha de imunização. As medidas foram divulgadas na última sexta-feira (8).

continua após publicidade

Uma reunião foi feita para estabelecer algumas mudanças na campanha de vacinação contra o novo coronavírus em 2022. O ministério prevê um investimento de R$ 11 bilhões voltado para a isto. 

Veja o planejamento de vacinação feito pelo governo para o próximo ano:

continua após publicidade

Uma dose para pessoas de 18 a 60 anos; duas doses para pessoas com mais de 60 anos e imunossuprimidos; vacinação por faixa etária decrescente, e não por grupo de risco; vacinação seis meses após a imunização completa em 2021 ou dose de reforço; duas doses para novos públicos, se houver ampliação (crianças e adolescentes); vacinação heteróloga: cada vacinado recebe imunizante diferente do aplicado no ano anterior; ao todo, devem ser necessárias 340 milhões de doses; utilização apenas de vacinas com registro definitivo pela Anvisa, o que exclui atualmente a CoronaVac.

Segundo o secretário-executivo do ministério, Rodrigo Cruz, vários elementos foram levados em consideração para que os ajustes na imunização fossem feitos. "Diversos cenários foram elaborados e levamos em consideração de 2 doses caso tenha ampliação de publico alvo, como menores de 12 anos. Para o público de 18 a 60 anos, vai ter 1 dose. E mais de 60 e imunossuprimidos, vão ter 2 doses. Esse é o cenário escolhido para 2022 e por faixa etária decrescente. Nesse primeiro momento", disse Cruz.

Apesar disso, Cruz ressaltou que o governo já tem um planejamento básico previsto. Ainda não há, por exemplo, definição sobre os adolescentes.

"Esse é um planejamento que temos hoje, lembrando que esta sujeito a alteração, devido o surgimento de novas evidencias. E caso mostre a necessidade de mais vacinas já temos os instrumentos para comprar", disse Cruz.