Cotidiano

Com riscos, bombeiros interrompem operação no centro de SP e fecham ruas

(via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Após uma nova avaliação indicar risco de desabamento no prédio de dez andares que pegou fogo na noite do domingo e permanece com focos de incêndio, o Corpo de Bombeiros interrompeu os trabalhos e decidiu interditar vias de acesso importantes e uma das entradas da Estação São Bento da Linha 1-Azul do Metrô, na região central da cidade.

continua após publicidade

As Ruas 25 de Março e Comendador Abdo Schahin, que chegaram a ser liberadas pela manhã, voltaram a ser interditadas. Os bombeiros pedem que as pessoas evitem a região e orientaram os comerciantes a fechar as portas. O edifício localizado na Rua Comendador Abdo Schahin ainda tem chamas nos andares superiores.

"Estamos reposicionando as viaturas do Corpo de Bombeiros, mudando ponto de comando e também fazendo interdição da Rua 25 de Março e da Rua Comendador Abdo Schahin. Passamos por uma nova avaliação e existe o risco do colapso da edificação. As operações são interrompidas agora, para uma nova estratégia", informou o capitão André Elias, porta-voz do Corpo de Bombeiros.

continua após publicidade

A nova determinação ocorre depois de os bombeiros terem descartado o risco de desabamento nesta segunda-feira em virtude do controle das chamas. Eles esperavam encerrar os trabalhos até o final desta terça-feira, mas novos focos de incêndio surgiram no final da manhã e levaram à interrupção temporária dos trabalhos.

O incêndio de grandes proporções começou por volta das 21h do domingo em um edifício comercial na Rua Comendador Abdo Schahin, perto da Rua Barão de Duprat. Foram atingidos ao menos quatro imóveis, entre eles, a primeira igreja ortodoxa do País, a Igreja Ortodoxa Antioquina da Anunciação à Nossa Senhora. De 1904, o templo religioso é tombado na esfera municipal desde 2007, junto a outras edificações do chamado "Centro Velho", e é um marco da imigração sírio-libanesa no País.

O edifício histórico foi bastante danificado, de acordo com os bombeiros.

Dois bombeiros foram socorridos com queimaduras de 2.º grau. Eles foram resgatados conscientes e encaminhados a um hospital do Tatuapé, na zona leste. O soldado Felipe Santiago Marcelino, de 22 anos, está com 39% de queimaduras no corpo, em situação estável, e permanece na UTI. Já soldado Helliton Rocha Silva do Nascimento, de 33 anos, apresenta 16% de queimaduras no corpo e está internado na enfermaria do hospital. Não há informações sobre outras vítimas.