MAIS LIDAS
VER TODOS

Cotidiano

Cientistas anunciam criação de primeiro embrião humano sintético sem óvulos e espermatozoide

Cientistas anunciaram nesta semana a criação do primeiro embrião humano sintético do mundo, usando células-tronco - um avanço que, no futuro, poderia fazer com que a reprodução prescinda de óvulos e espermatozoides.O desenvolvimento desse modelo - similar

Redação (via Agência Estado)

·
Escrito por Redação (via Agência Estado)
Publicado em 15.06.2023, 22:13:00 Editado em 15.06.2023, 22:20:07
Imagen google News
Siga o TNOnline no Google News
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.
Continua após publicidade

Cientistas anunciaram nesta semana a criação do primeiro embrião humano sintético do mundo, usando células-tronco - um avanço que, no futuro, poderia fazer com que a reprodução prescinda de óvulos e espermatozoides.

continua após publicidade

O desenvolvimento desse modelo - similar a um embrião humano natural em seus primeiros estágios de desenvolvimento - é uma ferramenta que pode permitir grandes avanços nos mais diferentes campos da Medicina, como o estudo de doenças genéticas e a determinação das causas biológicas de abortos recorrentes, apenas para citar dois exemplos.

A professora Magdalena Zernicka-Goetz, da Universidade de Cambridge e do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech, na sigla em inglês), apresentou o trabalho na quarta-feira, 14, no encontro anual da Sociedade Internacional de Pesquisas com Células-Tronco, em Boston, nos EUA.

continua após publicidade

O trabalho ainda não foi publicado em nenhuma revista científica, o que deve acontecer nos próximos meses. "Conseguimos criar modelos similares a embriões humanos reprogramando células-tronco embrionárias", anunciou em plenária, segundo a BBC britânica.

O trabalho, no entanto, levanta questões éticas e legais importantes, uma vez que a criação em laboratório de um embrião não está prevista na atual legislação. Embora a estrutura não tenha coração ou cérebro, ela tem células-tronco que seriam capazes de formar todo o embrião, caso seu desenvolvimento fosse estimulado.

Não há perspectiva a curto ou médio prazo de que embriões sintéticos possam ser usados clinicamente. Seria ilegal implantá-los no útero de uma mulher, por exemplo, e ainda não está totalmente claro se a estrutura continuaria se desenvolvendo para além do estágio embrionário. Embriões sintéticos de camundongos, por exemplo, implantados no útero de uma fêmea, não levaram a uma gestação.

continua após publicidade

O principal objetivo do trabalho, como explicou Magdalena, é tentar entender o que acontece durante um período do desenvolvimento embrionário que os cientistas chamam de "caixa-preta".

É que, por lei, na maioria dos países, só é possível cultivar embriões humanos em laboratório por até 14 dias - justamente por conta de questões éticas. Depois desse período, os cientistas só conseguem voltar a acompanhar o desenvolvimento embrionário bem mais à frente, por meio de exames de ultrassonografia de grávidas. Na apresentação feita na conferência, Magdalena explicou que conseguiu cultivar o embrião sintético para além de 14 dias.

"A ideia é que, se você tem um modelo de embrião humano feito a partir de células-tronco, você consegue obter muita informação sobre o que acontece nos estágios iniciais do desenvolvimento embrionário, inclusive o que pode dar errado, sem ter que usar embriões humanos", explicou em entrevista ao jornal britânico The Guardian, o especialista em biologia de células-tronco e desenvolvimento genético Robin Lovell-Badge, do Instituto Francis Crick, de Londres.

As células-tronco são as primeiras que surgem no desenvolvimento embrionário. É partir delas que linhagens específicas de células são formadas. Cientistas já sabem há pelo menos uma década como induzir células-tronco a se transformarem em células específicas.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Icone FaceBook
Icone Whattsapp
Icone Linkedin
Icone Twitter

Mais matérias de Cotidiano

    Deixe seu comentário sobre: "Cientistas anunciam criação de primeiro embrião humano sintético sem óvulos e espermatozoide"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.
    Compartilhe! x

    Inscreva-se na nossa newsletter

    Notícia em primeira mão no início do dia, inscreva-se agora!