Cidades dispersam aglomerações; transmissão do novo coronavírus deve crescer - TNOnline
Mais lidas

    Cotidiano

    Cotidiano

    Cidades dispersam aglomerações; transmissão do novo coronavírus deve crescer

    Escrito por Da Redação
    Publicado em 15.02.2021, 07:15:00 Editado em 15.02.2021, 07:20:27
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    Mesmo com o cancelamento do carnaval, autoridades sanitárias e policiais tiveram de encerrar festas clandestinas e dispersar aglomerações em várias cidades do País neste fim de semana. Bares lotados no interior paulista e multidões sem máscara no Sul e no Nordeste foram registrados nas redes sociais. Os episódios devem aumentar a taxa de transmissão do coronavírus, alertam especialistas.

    Na capital paulista, a Vigilância Sanitária estadual fechou 11 locais por aglomeração entre os dias 12 e 13. Também autuou outros 22. O balanço do carnaval será divulgado na quarta-feira.

    Neste sábado, 13, o Estadão percorreu os principais pontos do circuito do carnaval de rua. O único local com clima carnavalesco era um evento na quadra de uma escola de samba no Jardim das Laranjeiras, na zona norte, onde perto de 25 jovens aguardavam em uma fila. Alguns não usavam máscara e outros combinavam o acessório obrigatório com adereços da folia.

    A divulgação do Buteco Universitário foi feita pelas redes sociais. "Aqui é tranquilo. Tem parte arejada, todo mundo fica de máscara e não pode levantar da mesa", afirmou a estudante Vitória Alves Freitas, de 20 anos. "Venho desde dezembro e, se ficar com 80 pessoas lá dentro, é muito", disse o borracheiro Felipe Calçolari, de 21.

    Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, o local está entre os pontos que descumpriram o Plano São Paulo e foram fechados. Vídeos enviados pela pasta mostram pessoas sem máscara. A reportagem tentou entrar em contato com os organizadores, mas não teve êxito. A capital está na fase amarela, que permite eventos com capacidade limitada a 40%, entre outras regras.

    Em Sorocaba (SP), o movimento de uma festa foi tão grande que travou o trânsito. No bairro Cruz de Ferro, a presença de mais de 700 pessoas e 100 veículos congestionou a estrada Sorocaba-Boituva.

    Minas Gerais também teve grandes eventos irregulares. Em Betim, na região metropolitana, um baile funk foi interrompido na madrugada de ontem. Havia cerca de 150 pessoas, que foram levadas de ônibus pelos policiais até a delegacia.

    Destinos turísticos famosos, como a Praia da Pipa (RN) também registram aglomerações. Uma multidão se concentrou nas ruas no sábado. "Não temos como conter a população nas ruas", admitiu um funcionário da prefeitura. Em Dourados (MS), uma carreata com mais de 15 veículos acompanhava um caminhão-pipa com pessoas em cima do reservatório. Sessenta delas foram autuadas e devem responder por infração sanitária.

    Praias

    As praias também registraram grandes aglomerações. Sem o desfile dos trios elétricos em Salvador (BA), baianos e turistas escolheram o Porto da Barra como destino preferido. No litoral norte do Rio Grande do Sul, a praia de Capão da Canoa registra multidões desde sexta-feira, 12. A prefeitura afirmou que reforçou a fiscalização.

    Eventos assim podem provocar alta de casos da covid-19, alerta o virologista Paulo Eduardo Brandão, da USP. "As festas vão aumentar a transmissão do coronavírus e estender o período de gravidade da pandemia."

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Cotidiano

    Deixe seu comentário sobre: "Cidades dispersam aglomerações; transmissão do novo coronavírus deve crescer"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.