Cotidiano

Chuvas na primavera não serão suficientes para conter crise

Um fenômeno chamado La Ninã deve acontecer durante a estação e atingirá o Sul do Brasil

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Chuvas na primavera não serão suficientes para conter crise
fonte: Reprodução/Caema
Chuvas na primavera não serão suficientes para conter crise

As chuvas da primavera não serão suficientes para conter a crise hídrica. A estação começa na quarta-feira, dia 22 de setembro, às 16h21. Conforme a previsão, a possibilidade de chuva será acima da média histórica no Norte, Centro e Leste do Brasil, entretanto, isto não irá suprir a falta de água nos reservatórios. 

continua após publicidade

Com a falta de chuvas significativas, o nível de água dos principais reservatórios do país está diminuindo rapidamente. A situação é mais preocupante no conjunto de hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que concentra 70% de toda a água armazenada no Brasil.

"A primavera é uma estação de transição, ela está entre o inverno e o verão, por isso ela tem características de ambas as estações, ou seja, normalmente temos dias mais quentes e secos e outros dias mais chuvosos e com temperaturas mais baixas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste", argumenta César Soares, meteorologista da Climatempo.

continua após publicidade

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), estas são as previsões para a estação:

Chuva acima da média nos seguintes estados: AM, RR, PA, TO, AP, MA, PI, CE, RN, oeste de PE, oeste da BA, norte e leste de MG, norte de GO, DF, extremo norte e extremo leste de MT, norte e leste de MG, sul do ES, oeste e norte do RJ e extremo sudeste de MS;

Chuvas abaixo da média histórica nos estados da região Nordeste, parte de MS e SP, sul de MG, oeste do PR e de SC;

continua após publicidade

Temperaturas mais altas do que a média histórica na parte central e nordeste do Brasil;

Temperaturas abaixo da média em áreas do Norte do Brasil;

Fenômeno La Niña poderá impactar nas chuvas no Sul do Brasil;

continua após publicidade

La Ninã

O fenômeno causará um resfriamento da temperatura na superfície nas águas do Oceano Pacífico Tropical Central e Oriental. Com isso, há um série de mudanças nas precipitações e temperaturas do globo terrestre. 

Segundo o Inpe, o volume de chuvas na região Sul do país poderá ser afetado pelo fenômeno. "É importante destacar que esta previsão não descarta a ocorrência de eventos expressivos de chuva nas áreas do sul do Brasil. No entanto, o possível desenvolvimento e atuação do fenômeno La Niña poderá gerar condições de déficit de precipitação no final do trimestre em parte do Sul do Brasil.

Com informações; G1.