Bolsonaro visita Ceagesp e descarta privatização do entreposto - TNOnline
Mais lidas

    Cotidiano

    Política

    Bolsonaro visita Ceagesp e descarta privatização do entreposto

    Bolsonaro visita Ceagesp e descarta privatização do entreposto
    Foto por Agência Brasil
    Escrito por Agência Brasil
    Publicado em 15.12.2020, 19:24:52 Editado em 15.12.2020, 19:24:55
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, anuncie no TNOnline.

    O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (15) que não há espaço em seu governo para privatização da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). A declaração foi dada durante uma visita a empresa, na zona oeste da capital paulista, para a reinauguração da Torre do Relógio, um monumento reformado por comerciantes e que foi pintado de verde e amarelo.

    "Aqui, quando se fala de privatização, quero deixar bem claro. Enquanto eu for presidente da República, essa é casa de vocês”, afirmou o presidente.

    A Ceagesp foi criada em 1969 pelo governo do estado de São Paulo, mas passou a ser controlada pelo governo federal a partir de 1997, e atualmente está vinculada ao Ministério da Economia. Esta foi a primeira visita de um presidente da República ao galpão do Ceagesp.

    Durante a visita, Bolsonaro destacou o trabalho do diretor-presidente do entreposto, Ricardo Augusto Nascimento de Mello Araújo, que assumiu o cargo no final de outubro. Araújo é coronel da reserva da Polícia Militar de São Paulo, e ex-comandante da Rota.    

    "Não vim inaugurar nada aqui, vim fazer uma visita técnica, conversar com o novo presidente, que deu uma nova dinâmica a esse entreposto. Tudo que passa pela nossa mesa passa por aqui", afirmou Bolsonaro. Bolsonaro lembrou que, entre outras iniciativas, o novo diretor-presidente acabou com a obrigatoriedade de pagamento de R$ 60 por mês para cada um dos 4 mil carregadores guardarem seus carrinhos.

    "Para pessoas humildes, isso faz falta, é muito dinheiro. Ele acabou com isso num primeiro momento”, disse o presidente aos permissionários durante um discurso no galpão do entreposto, acompanhado por centenas de comerciantes. Ainda de acordo com Bolsonaro, Mello Araújo assumiu com “carta branca” para nomear os diretores e tomar decisões para combater supostas irregularidades na empresa.

    "Temos vários problemas aqui, como os contratos de lixo e de segurança, que estão sendo revistos. Outras coisas também, os senhores podem ter certeza, trazendo ao conhecimento do coronel Mello Araújo, esses problemas serão resolvidos. Nós não compactuaremos com a corrupção", acrescentou.

    Agência Bancária

    Durante o evento, o presidente Jair Bolsonaro - acompanhado por Pedro Guimarães, presidente da Caixa - informou que o banco também planeja participar das melhorias na Ceagesp, com a construção de uma nova agência.

    “O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, acabou de me dizer que vai ser aberta uma agência da Caixa aqui [nas dependências da Ceagesp]. Tudo que precisarem e estiver ao alcance do governo federal, vocês serão atendidos. A Ceagesp é de vocês”, afirmou o presidente.

    O presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, durante visita a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), para a reinauguração da Torre do Relógio. - Rovena Rosa/Agência Brasil

    Ceagesp

    A companhia é responsável pela maior central de abastecimento de frutas, legumes, verduras, flores, pescados, entre outros produtos, da América Latina. O volume comercializado, por ano, chega a 3,21 milhões de toneladas, com valor financeiro de R$ 8,84 bilhões.

    Na central, o fluxo médio de pessoas é de 50 mil por dia. A Ceagesp conta com 590 empregados públicos e a operação do entreposto envolve 25 mil empregos diretos, além de mais de 2 mil permissionários atacadistas, 247 varejistas e 376 ambulantes.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!

    Mais matérias de Cotidiano

    Deixe seu comentário sobre: "Bolsonaro visita Ceagesp e descarta privatização do entreposto"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.