Atendente de pizzaria acusa Frederick Wassef de injúria racial - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Investigação

Atendente de pizzaria acusa Frederick Wassef de injúria racial

Foto por Daniel Marenco/Agência Globo
Escrito por Da Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Na última quarta-feira (11), a atendente de uma pizzaria localizada em um shopping do Distrito Federal, procurou a delegacia para registrar um boletim por injúria racial contra Frederick Wassef, ex-advogado da família Bolsonaro. 

A funcionária afirmou à polícia que foi chamada de macaca depois que Frederick se queixou por não ter gostado da pizza. O advogado teria perguntado a atendente se ela comeu a pizza e após receber a resposta 'Não' ele teria alterado a voz e a insultado. 

"Você é uma macaca! Você come o que te derem."

Em defesa, Wassef negou a acusação e declarou que não ofendeu a atendente, alegou que a declaração dela é mentirosa e caluniosa, além de se tratar de uma armação para conseguir dinheiro por meio de uma suposta indenização. 

"Não chamei ninguém de macaco. A funcionária não é negra e mentiu afirmando que eu a chamei de negra e por isso não queria ser atendido por ela."

Durante seu depoimento à polícia, a funcionária da pizzaria informou que Wassef frequenta o estabelecimento constantemente e que é conhecido pelos funcionários por se "se tratar de uma pessoa arrogante e que destrata e ofende os funcionários". A vítima alegou que essa não é a primeira vez que é ofendida pelo advogado, ela já teria sido "constrangida" e "muito humilhada" por ele em outras ocasiões.

O advogado do grupo Pizza Hult, Bernardo Fenelon, acompanhou a atendente no momento do registro de ocorrência e se manifestou por meio da seguinte nota. 

"Em razão dos recentes episódios de agressões verbais e físicas, bem como de discriminação racial/social, ocorridos na unidade da Pizza Hut localizada no Píer 21, em Brasília, por parte de um cliente contra funcionários da loja, a Pizza Hut Brasil vem a público manifestar seu absoluto repúdio aos fatos ocorridos e seu apoio aos funcionários agredidos e ao franqueado da referida unidade.

A Pizza Hut Brasil vem dando todo o suporte para os colaboradores e parceiros agredidos para que os mesmos façam valer os seus direitos e para que sejam tomadas as medidas necessárias para evitar que tais atos se repitam, entre as quais a comunicação dos fatos para as autoridades competentes mediante o registro de um boletim de ocorrência contra o agressor."

Em resposta a nota divulgada pelo advogado da atendente, Frederick Wassef, emitiu o seguinte parecer. 

"Tudo que foi dito pela funcionária do Pizza Hut são mentiras e calúnias contra minha pessoa. Sou vítima de uma farsa e armação montada. Sou vítima de denunciação caluniosa que foi organizada sob orientação de terceiros, visando futura ação indenizatória para ganhar dinheiro através desta fraude arquitetada.

Não chamei ninguém de macaco. A funcionária não é negra e mentiu, afirmando que eu a chamei de negra e por isso não queria ser atendido por ela. Foi fazer um boletim de ocorrência três dias após o fato narrado, levou fotógrafo para tirar sua foto na delegacia fazendo o B.O [boletim de ocorrência] e divulgou para a imprensa imediatamente.

Existem seguranças na porta do Pizza Hut, a poucos metros ao lado da pizzaria, que ali ficam permanentemente para fazer o protocolo da Covid 19, na entrada do shopping. Se fosse verdade o que a funcionária afirmou falsamente, teriam me prendido em flagrante e filmado com celulares. Outra mentira é que outros funcionários teriam testemunhado o narrado por ela. Ela estava sozinha no caixa e ninguém estava perto. Apenas parei no caixa para pagar a conta e fui embora. Vou comunicar a polícia deste crime de denunciação caluniosa do qual fui vítima."

A polícia segue investigando o crime e caso Frederick Wassef seja considerado culpado poderá responder pelo crime de injúria racial. 

Deixe seu comentário sobre: "Atendente de pizzaria acusa Frederick Wassef de injúria racial"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.