Cotidiano

Manejo adequado de pragas e doenças é fundamental para aumentar a produtividade da safrinha de milho no Brasil

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Manejo adequado de pragas e doenças é fundamental para aumentar a produtividade da safrinha de milho no Brasil
Manejo adequado de pragas e doenças é fundamental para aumentar a produtividade da safrinha de milho no Brasil

Após a colheita da soja 2019/2020, muitos produtores rurais apostam no milho para a “safrinha”. E, para este ano, as expectativas são promissoras. “Os produtores já venderam quase toda a safra plantada. Está sendo um ano muito bom para milho, até porque o produtor teve a oportunidade de fazer a compra de insumos com o dólar mais baixo e agora a moeda subiu”, afirma Laércio Bortolini, diretor de Negócios de Milho da Bayer.

continua após publicidade

Na região Centro-Oeste, por exemplo, o plantio da safrinha já foi finalizado. De acordo com Paulo Garollo, agrônomo de desenvolvimento de tecnologias da Bayer, que responde pelos Estados de Goiás, e parte do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, a maioria das lavouras está em fase de pré-florescimento ou florescimento, e um dos principais cuidados que devem ser tomados pelos agricultores neste momento, para garantir boa produtividade, é no controle das doenças, especialmente aquelas relacionadas às manchas.

Em regiões de maior altitude, por exemplo, é preciso monitorar Cercospora, Turcicum e Mancha Branca, enquanto nas regiões baixas, a Ferrugem Polysora é a que mais preocupa. Pensando nos produtores de milho, a Bayer disponibiliza em seu portfólio, a partir deste ano, o fungicida Fox® Xpro específico para essa cultura

continua após publicidade

“A carboxamida presente na formulação do Fox® Xpro é uma importante aliada para o produtor de milho, especialmente no controle da mancha branca”, destaca Garollo. A fórmula completa (interação dos três ativos) atua nas diferentes fases do ciclo de vida do fungo e proporciona maior sanidade às plantas. Dessa forma, a lavoura apresenta folhas mais sadias e verdes, o que poderá resultar em um maior potencial produtivo. 

Já quando o assunto é praga, o especialista esclarece que, como as áreas de milho estão em estágio vegetativo (entre V6 e V12), o produtor precisa estar atento, principalmente, à presença da cigarrinha, do pulgão do milho e da lagarta do cartucho. “Cada inseto tem sua particularidade. A cigarrinha, por exemplo, tem seu período crítico de V2 a V8, enquanto o pulgão do milho exige a atenção do agricultor até o florescimento, mas quanto mais cedo for controlado, menor a incidência de colônias no futuro e maior a facilidade de aplicação. Para a lagarta do cartucho, recomendamos a utilização da escala Davis, para que o agricultor saiba o momento certo de entrar com aplicação complementar, se necessário”, completa Garollo.

No caso do percevejo barriga verde, que é uma das pragas mais preocupantes na cultura do milho atualmente, o especialista aponta que “para evitá-lo é importante fazer o controle correto já na cultura da soja, para termos uma população inicial de praga na cultura subsequente, de no máximo, um percevejo por metro, facilitando assim o controle por tratamento de semente ou defensivo agrícola, quando necessário”, alerta Garollo.

continua após publicidade

O agrônomo Mauro Alberton, líder de portfólio de proteção de cultivos da Bayer na América Latina, esclarece que, para que os híbridos de milho possam expressar todo seu potencial produtivo, é preciso evitar todo tipo de interferências no crescimento da planta, sejam elas causadas pela matocompetição, por pragas ou doenças.

“Para alcançar um patamar de alta produtividade, o ideal é começar com um bom tratamento de sementes, que pode ser industrial ou o feito na própria fazenda, com o Cropstar®, por exemplo. Já para o manejo de plantas daninhas, as soluções mais indicadas para a cultura do milho são Roundup®, que está há mais de 40 anos no mercado e é um conhecido aliado do agricultor, e, o Soberan®, herbicida seletivo para o controle das invasoras com uma única aplicação. Agora, para restringir o aparecimento de insetos como o percevejo na lavoura de milho, os produtores podem contar com o inseticida Connect®, que é o produto mais completo para o manejo de sugadores. Por fim, pensando no controle de lagartas, o inseticida Belt® apresenta excelente eficácia e amplo espectro de ação, por isso, é uma ferramenta fundamental para um manejo que irá maximizar o resultado do produtor rural”, destaca Alberton.

Outra ferramenta utilizada para aprimorar o controle das pragas e de plantas daninhas é a biotecnologia. Para a cultura do milho, a tecnologia VT PRO3® proporciona proteção da raiz à espiga, pois é a primeira e única tecnologia do Brasil que combina a inédita proteção da raiz do milho contra Diabrotica speciosa (larva-alfinete) e proteção contra as lagartas da parte aérea, além de maior flexibilidade no manejo de plantas daninhas.

continua após publicidade

“Na região sul, por exemplo, que passou por um longo período sem chuva, a tecnologia VT PRO3® tornou-se uma aliada do agricultor, porque a planta tem as suas raízes protegidas, o que ajuda a enfrentar melhor situações adversas de seca”, explica Rodrigo Nuernberg, que é responsável pela área de sementes da Bayer para o sul do Brasil.

Produtividade

Para Marcelo Junqueira, diretor de negócios de sementes da Bayer para o Cerrado, três pilares sustentam a produtividade alcançada pelo agricultor no fim da safrinha de milho, e o primeiro deles é a genética “Quando o produtor está escolhendo o híbrido ideal para sua lavoura, são muitos fatores que devem ser levados em conta, e nossa equipe de campo pode auxiliá-lo”, afirma. “O que a genética Bayer entrega em relação à produtividade é nosso principal diferencial de mercado. Desenvolvemos melhoramentos com base na agricultura tropical, isso nos permite lançar a cada ano materiais ainda mais produtivos para as diversas regiões do país”, acrescenta.

De acordo com Junqueira, o segundo pilar fundamental é a agricultura digital. Soluções como o Climate FieldView™, que coleta e processa automaticamente dados de campo de forma simples e integrada, gerando mapas e relatórios em tempo real, “permitem que o agricultor seja mais técnico e identifique em qual local é preciso cuidar do solo, da planta ou das pragas, ou seja, a digitalização melhora todo o processo de produção”.

O terceiro pilar apontado por Junqueira é a equipe de especialistas da Bayer, que presta todo o suporte necessário ao agricultor, do início ao fim da safra. “A Bayer se preocupa em oferecer não só um portfólio integrado de produtos e serviços, mas também uma experiência completa, com toda uma rede de apoio ao cliente. Contar com essa parceria traz a segurança necessária que o agricultor precisa para gerir sua lavoura em busca dos melhores resultados”, finaliza.

Tags relacionadas: #agricultura #BRASIL #Milho