Paraná terá mais quatro novas rotas aéreas partindo de Curitiba - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

    Cotidiano

    Paraná terá mais quatro novas rotas aéreas partindo de Curitiba

    Foto por
    Escrito por Agência Estadual de Notícias
    Publicado em Editado em
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

    A expansão de linhas aéreas no Paraná, puxada principalmente pelo programa aviação regional Voe Paraná, do Governo do Estado, e por novas rotas criadas pelas companhias do setor, ganhará mais um reforço a partir de junho. A Azul anunciou quatro novos voos diários e regulares de Curitiba para Guarulhos (Aeroporto Internacional de São Paulo), Porto Alegre e Brasília – essa última com dois voos diários.

    Para o governador Carlos Massa Ratinho Junior a ampliação de linhas leva em consideração o boom da aviação no Estado. “É importante para o Paraná, porque possibilita novas conexões com a capital do País e São Paulo, destinos muito visados por empreendedores e turistas”, destacou. “Isso amplia as possibilidades de negócios para as empresas paranaenses e de mais visitantes no Estado”.

    PLEITO - A rota de Curitiba para Brasília é uma novidade na Azul. John Rodgerson, presidente da companhia, disse que a conexão com Brasília atende um pleito antigo dos passageiros do Paraná. “Oferecer ligação rápida e direta entre Curitiba e Brasília é um pleito de toda a região e, com a chegada de novas aeronaves, poderemos atender essa necessidade”, afirmou. “Ao implementar esses dois voos diários, além de ampliar o número de ligações para Porto Alegre e São Paulo, daremos ainda mais opções para quem quer planejar o seu voo”.

    Quando as quatro novas operações estiverem em operação, serão, em média, 44 voos diários partindo da capital para 16 destinos. O Paraná é o terceiro Estado com o maior volume de operações da Azul, com voos regulares em nove cidades: Curitiba, Maringá, Foz do Iguaçu, Londrina, Cascavel, Guarapuava, Ponta Grossa, Pato Branco e Toledo. O Governo do Estado e a Azul acertam, ainda, os últimos detalhes para abrir a linha Umuarama-Curitiba.

    A companhia aumentou em 10,7% o número de voos no Paraná em 2019. Entre janeiro e dezembro do ano passado foram 36.003 voos, contra 32.518 em 2018. São 72 voos partindo do Estado todos os dias.

    Bilhetes para novas linhas já começaram a ser comercializados

    As novas operações serão realizadas com aeronaves da Embraer, modelo 195-E2, com capacidade para 136 passageiros. Os bilhetes já começaram a ser comercializados em todos os canais oficiais da empresa.

    Para Brasília haverá partidas diárias (segunda a sexta) de Curitiba às 6h20 e 17h50. Os voos de retorno decolarão da capital federal às 8h55 e 20h35, o que possibilitará programação de ida e volta no mesmo dia.

    Para São Paulo, sairão de Curitiba às 11h35, e o trecho oposto sairá de Guarulhos às 13h45. Para Porto Alegre, as novas frequências sairão de Curitiba às 23h05, e o trecho oposto sairá do Aeroporto Internacional Salgado Filho às 23h15.

    Afonso Pena se posicionou entre mais movimentados em 2029

    O Aeroporto Internacional de Curitiba (Afonso Pena) encerrou janeiro de 2020 como o quarto mais movimentado do País em quantidade de pousos e decolagens. Foram 5.293, segundo a Infraero, atrás apenas dos aeroportos de Recife, Santos Dumont (Rio de Janeiro) e Congonhas (São Paulo). Mais de 529 mil passageiros transitaram no aeroporto em janeiro, o que representa 6,6% de toda a movimentação nacional nos aeroportos públicos.

    Gostou desta matéria? Compartilhe!
    TNTV
    TNTV

    Como reestruturar e garantir a sobrevivência do meu negócio?

    Deixe seu comentário sobre: "Paraná terá mais quatro novas rotas aéreas partindo de Curitiba"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.