Mais lidas
Ver todos

    Cotidiano

    Clientes fazem compras de Natal, não recebem mercadoria e descobrem que loja fechou

    Foto por
    Escrito por da redação
    Publicado em Editado em
    Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

    “Era para ser um presente, mas infelizmente…”. O sonho de Gislene Noemi da Cruz em ganhar uma penteadeira de camarim de Natal virou pesadelo. A Maxi Móveis e Planejados, uma loja que funcionou durante anos, na Avenida Emílio Johnson, no centro de Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba, pegou alguns clientes de surpresa ao fechar as portas.

    Gislaine contou que o marido comprou o móvel à vista, no dia 5 de novembro de 2019, e a promessa é de que a entrega aconteceria dentro de 30 dias. “Ele mandou uma mensagem para a loja perguntando, disseram que estava na fábrica e dependia deles no momento, precisávamos aguardar. Isso foi no dia 10 de dezembro, um mês após a compra. Fui descobrir na página na rede social da loja que, simplesmente, eles tinham fechado”, relatou.

    Outra cliente, a doméstica Maiara Cristina de Oliveira Silva, disse que pagou R$ 1 mil de entrada, junto com seis cheques, em um jogo de jantar, também em novembro. “Ficaram de entregar depois do Natal. Não liguei, pois disseram que demorava. Passei em frente a loja e vi que estava fechado, pensei que estavam de férias. Então meu marido viu na rede social que realmente haviam fechado. O cheque consigo sustar, mas o dinheiro acho que não. Eu já fiz um boletim de ocorrência”, contou.

    O delegado de Almirante Tamandaré, Thiago Dantas, explicou que, por enquanto, o caso está sendo tratado como desacordo comercial. A advogada da loja informou que o estabelecimento foi fechado pois houve uma ação de despejo do imóvel.

    “O dono não fechou porquê quis, teve que desocupar. Somado a isso, a advogada demostrou que ele tem o total interesse em quitar a dívida com os clientes que compraram no estabelecimento, está tentando acionar pela rede social e fará uma audiência pública para tentar verificar a quantia. A Polícia Civil, num primeiro momento não descarta um crime de estelionato, mas ao que nos parece, pode ter sido um descumprimento contratual, um ilícito civil”, esclareceu Dantas.

    A reportagem entrou em contato com a advogada do lojista, que preferiu não gravar entrevista, mas disse que uma audiência com os credores está sendo convocada para o dia 13 de março, quando será proposto um acordo.

    Direito do Consumidor
    O professor de Direito, Claudio Castro, especialista em Direito do Consumidor, deu uma dica importante para as pessoas, ao comprar algo que dependa de uma entrega. “Pague no cartão de crédito, pois assim você pode fazer uma oposição e cancela o débito”, aconselhou.

    No caso de comprar com cartão de crédito, o professor explicou como é possível não sair no prejuízo. “É preciso fazer um boletim de ocorrência eletrônico e cancelar o crédito, assim o problema fica com a empresa. Não é aconselhável pagar à vista. No cartão de crédito, o ideal é verificar se a data é anterior ao débito de cartão, pois se não for entregue, tem como cancelar a compra”, completou.

    (Banda B)


    Gostou desta matéria? Compartilhe!
    TNTV
    TNTV

    A luta das mulheres por direitos no Brasil, com Aline Rocha e Gabriela Sacchelli

    Deixe seu comentário sobre: "Clientes fazem compras de Natal, não recebem mercadoria e descobrem que loja fechou"

    O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.