Cotidiano

Advogado diz que Juninho Riqueza ameaçou gêmeos e queria reunião na casa deles

Da Redação ·
Foto: Reprodução/Banda B
Foto: Reprodução/Banda B

O advogado Ricardo Dewes criticou na sexta-feira (16) a prisão do gêmeo Eduardo Purkote Chiuratto, suspeito de envolvimento na mutilação e morte do jogador de futebol Daniel Correa Freitas, de 24 anos. Daniel foi encontrado morto na manhã de 27 de outubro, na zona rural de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

continua após publicidade

Dewes afirmou que a prisão “não tem fundamento e legitimidade”. Eduardo foi detido na manhã desta quinta-feira (15), em um condomínio de luxo de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, suspeito de participar das agressões contra o jogador Daniel Corrêa Freitas.

Conforme o advogado, Eduardo sempre esteve à disposição da Justiça e nunca colocou as investigações em risco para ter a prisão decretada. “Ele está falando a verdade desde o início, que não participou das agressões contra Daniel. Quem fala que o Eduardo participou do crime ou esteve diretamente envolvido ou é muito próximo da família Brittes”, disse.

continua após publicidade

Eduardo deve prestar depoimento na manhã da próxima segunda-feira (19). A defesa vai aguardar o depoimento para, aí sim, entrar com um pedido de habeas corpus.

Shopping
Sobre as imagens registradas por câmeras de segurança em um shopping de São José dos Pinhais, Dewes disse que ambos os irmãos Purkote foram ameaçados por Edison Brittes Júnior, o Juninho Riqueza. 

“Eles estavam com muito medo e foram pressionados, porque sabiam que os acusados tinham matado o Daniel. A princípio, a família Brittes queria ir até a casa deles, mas ficaram com medo, foi quando combinaram o shopping por ser um local público. Lá foi colocado que eles precisariam de uma versão única, a que o Daniel teria ficado entretido no celular e depois saído em um Uber”, comentou o advogado.

continua após publicidade

Presos
Além de Eduardo, estão presos por envolvimento no crime Juninho Riqueza, que confessou ser o autor do homicídio; a esposa dele, Cristiana Brittes; a filha do casal, Allana Brittes; e os três jovens que estariam no carro que levou Daniel até a Colônia Mergulhão: Eduardo Henrique Ribeiro da Silva, de 19 anos, David Willian Villero Silva, de 18, e Igor King, de 20. 

Todos irão responder por homicídio qualificado, incluindo Cristiana e Allana, que não participaram diretamente da morte, mas colaboraram na coação de testemunhas.

O crime
O jogador Daniel Correa Freitas, de 24 anos, foi encontrado morto na manhã de 27 de outubro, na zona rural de São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Ex meia de Coritiba e São Paulo, ele atualmente atuava no São Bento, time da série B do Campeonato Brasileiro. De acordo com a polícia, ele estaria em uma festa e morreu após enviar fotos de Cristiana Brittes para amigos em um grupo de WhatsApp.

As informações são do portal Banda B