Aneel define índices de reajuste da tarifa de energia no Paraná - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Cotidiano

Aneel define índices de reajuste da tarifa de energia no Paraná

Aneel define índices de reajuste da tarifa de energia no Paraná
Foto por
Escrito por REDAÇÃO
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) definiu o reajuste na tarifa de energia elétrica para os consumidores do Paraná atendidos pela Copel. Anunciado em reunião da diretoria da Aneel, em Brasília, o aumento para os consumidores residenciais será de 15,06%. O novo valor passa a vigorar a partir do dia 24 de junho. A tarifa para o setor industrial terá reajuste de 17,55%. O reajuste médio no Paraná será de 15,99%.

Do total do reajuste definido pela Aneel, apenas 0,31% corresponde ao custo operacional da Copel. Grande parte do aumento é consequência dos preços dos contratos de compra de energia, ajustados pela inflação e agravados pela falta de chuvas nos últimos anos. Além disso, o aumento do encargo da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), fundo gerido pelo governo federal, também pesou neste aumento.

As famílias de baixa renda continuarão contando com a isenção de tarifa para o consumo de até 120 kWh por mês, que prevê a quitação das contas pelo Governo do Estado.

COMPOSIÇÃO DA TARIFA – A tarifa de energia é composta pelas Parcelas A e B. A parcela B é a parte que cobre os custos das distribuidoras, como a Copel. No reajuste definido pela Aneel para a Copel, a participação da Parcela B é de apenas 0,31%. Ou seja, o custo operacional da Copel é de 0,31% no reajuste.

O restante do reajuste é consequência dos preços dos contratos de aquisição de energia, encargos setoriais e custos de transmissão de energia, que fazem parte da Parcela A, e de outros componentes financeiros.

REGRAS - A Copel Distribuição, que fornece energia no Paraná, não pode usar diretamente a energia gerada nas usinas da Copel Geração e Transmissão, pois o sistema segue modelo e regras nacionais. A Copel Distribuição tem que comprar energia nos leilões promovidos pelos órgãos federais e essa compra entra no reajuste como o item da Parcela A chamado de custo de aquisição de energia.

A Parcela A teve uma participação de 7,49% no reajuste, relativos a encargos setoriais (3,43% de participação), custo de transmissão (0,38%) e custo de aquisição de energia (3,59%)

Os encargos setoriais são taxa de fiscalização de serviço, Conta de Desenvolvimento Energético, Encargos de Serviço do Sistema, Proinfa, P&D e PEE.

No item Componentes Financeiros, que teve participação de 6,52% no reajuste da Copel, são atualizados itens que não foram cobertos pela tarifa no período passado, desde o reajuste de junho de 2017.

O principal componente é a CVA (Conta de Variação da parcela A), que registra a variação, entre os reajustes tarifários anuais, de parte dos itens de custo das distribuidoras, como a compra de energia elétrica da usina de Itaipu e alguns encargos tarifários do setor elétrico.

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Aneel define índices de reajuste da tarifa de energia no Paraná"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.