Cotidiano

Estagiária da Polícia Civil é desligada do cargo após postar fotos de baseado e desejar morte de PMs

Da Redação ·
Foto: Reprodução/Catve
Foto: Reprodução/Catve

Uma estagiária do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítima de Crimes (Nucria), da Polícia Civil do Paraná, foi afastada do cargo após publicar fotos de um cigarro de maconha e mensagens desejando morte aos policiais militares, na conta pessoal dela no Twitter. A jovem estuda direito em uma faculdade de Foz do Iguaçu.

continua após publicidade

Após tomar conhecimento das publicações, a direção da 6ª Subdivisão Policial (SDP) decidiu desligar a estudante do cargo. Além disso, a jovem também terá que explicar fotos de documentos assinados por ela como escrivã de polícia, que também foram postadas na página pessoal. As duas publicações já foram apagadas, assim como o perfil dela no Twitter. 

Estagiária da Polícia Civil é desligada do cargo após postar fotos de baseado e desejar morte de PMs fonte: Reprodução

Em nota à imprensa, a 6ª SDP de Foz do Iguaçu disse que o caso será investigado e que ela pode ser punida em diferentes esferas pelo comportamento.

continua após publicidade
Estagiária da Polícia Civil é desligada do cargo após postar fotos de baseado e desejar morte de PMs fonte: Reprodução

Leia na íntegra a nota divulgada pela Polícia Civil:

"Direção da 6ª Subdivisão da Polícia Civil de Foz do Iguaçu, em homenagem à ética, a postura moral que norteia nossos compromissos profissionais e em respeito ao cidadão iguaçuense, vem a público esclarecer, e pedir escusas pelo seguinte:

O fato protagonizado por uma estagiária que atuava no Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítima de Crimes - Nucria - pelo qual realizou postagens em redes sociais denegrindo a imagem de policiais e instituições responsáveis pela Segurança Pública, será objeto de apuração administrativa e penal, com consequências legais em ambas as esferas.

continua após publicidade

A referida estagiária, que é acadêmica de direito em uma Faculdade de Foz do Iguaçu, já foi devidamente desligada do quadro administrativo da Polícia Civil".

(Com informações da Catve)