Facebook Img Logo
Mais lidas
Cotidiano

Polícia Civil prende empresárias e farmacêuticas suspeitas de falsificação de produtos 

.

Polícia Civil prende empresárias e farmacêuticas suspeitas de falsificação de produtos em Curitiba - Foto: Carlos Soares/Polícia Civil
Polícia Civil prende empresárias e farmacêuticas suspeitas de falsificação de produtos em Curitiba - Foto: Carlos Soares/Polícia Civil

Quatro mulheres, entre elas duas empresárias e duas farmacêuticas (responsáveis técnicas), de diferentes farmácias, foram presas durante uma operação policial deflagrada na segunda-feira (29), em Curitiba, suspeitas pelo crime de falsificação de produtos para medicamentos manipulados. 

A ação de fiscalização aconteceu em cinco farmácias de manipulações – Centro, Fazendinha, Sítio Cercado, Alto Boqueirão e Novo Mundo - e foi realizada pela Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Saúde (Decrisa) que contou com o apoio da Vigilância Sanitária de Curitiba e do Conselho Regional de Farmácia do Paraná. 

De acordo com a polícia, um Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado no final do ano passado, após uma vitima ter manipulado um produto para seu filho menor de idade que prometia melhoras nos sintomas do autismo, o que não ocorreu. “Assim que tomamos conhecimento do fato, iniciamos várias diligências, até que recebemos novas informações, sendo necessário uma operação conjunta para a fiscalização”, falou o delegado responsável pelas investigações, Vílson Alves de Toledo. 

As investigações apuraram, também, que no local, eram manipulados remédios com produtos vencidos, sem uma origem comprovada e que dependiam de autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de produções em series de um pó nutricional (suplemento alimentar) destinados à crianças com necessidades especiais. Nas cinco farmácias fiscalizadas, a polícia apreendeu uma grande quantidade de produtos sem origem, produtos vencidos e produtos já manipulados sem a apresentação de receitas medicas, totalizando em cerca de 350 produtos apreendidos. 

“Foi possível comprovar que elas manipulavam remédios ou produtos específicos controlados sem a apresentação de receituários médicos, o que é expressamente proibido pela Anvisa”, completou Toledo. “A denunciante apresentou documentos que comprovavam as irregularidades, exigindo providências. A partir de então, juntamente com a Vigilância Sanitária, iniciamos uma investigação sobre o assunto”, afirma Eduardo Pazim, Gerente de Fiscalização do CRF-PR, completando que “com a operação de ontem pudemos verificar e tomar as medidas cabíveis da nossa parte, exigindo o cumprimento da legislação farmacêutica”. 

Na delegacia, a responsável pela farmácia do Fazendinha, Sítio Cercado, Alto Boqueirão e Novo Mundo, alegou que apenas administrava os locais, já a farmacêutica falou que não tinha conhecimento das irregularidades apontadas no estabelecimento. Os locais foram autuados pela Vigilância Sanitária. 

Já na farmácia do Centro, a proprietária admitiu manipular os produtos nutricionais e negou que estava manipulando remédios controlados sem o receituário, a farmacêutica alegou que não tinha conhecimento pois estava trabalhando no local há apenas 3 meses. A farmácia foi interditada pela Vigilância Sanitária. As quatro mulheres foram autuadas em flagrante pelo crime contra a saúde pública. Se condenadas, poderão pegar de 10 a 15 anos de reclusão. Todas aguardam presas à disposição da Justiça.

As informações são da Polícia Civil/PR

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Últimas de Cotidiano

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber