Mais lidas
Cotidiano

México rejeita uso da força militar para resolver crise na Venezuela

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo do México rejeitou nesta terça-feira (9) o uso da força para resolver a crise na Venezuela, uma semana depois do artigo do economista e ex-ministro venezuelano Ricardo Hausmann sugerindo uma intervenção militar no país.

"Recusamos qualquer insinuação que implique o uso da força, interna ou externa, para a solução do conflito", disse a secretaria das Relações Exteriores, em comunicado.

As autoridades mexicanas informou que continuará trabalhando com a OEA e o Grupo de Lima -de 11 países da região que não reconhecem a Assembleia Constituinte chavista- para tratar a situação venezuelana.

O país norte-americano é um dos mediadores do diálogo entre o regime de Nicolás Maduro e sua oposição, que se realiza na República Dominicana. A próxima reunião de negociações entre os dois lados é nesta quarta (10).

Para a Chancelaria, só através da negociação política é que se chegará à solução "de um problema que hoje não somente se refere à deterioração das instituições democráticas, mas também a uma profunda crise econômica e social".

Além do México, cujo governo é crítico ao líder venezuelano, fazem parte da mediação Chile (opositor), os aliados do chavismo Bolívia, Nicarágua e São Vicente e Granadinas e os anfitriões dominicanos, neutros.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber