Facebook Img Logo
  1. Edhucca Banner
Mais lidas
Cotidiano

Três dias após conflito que matou 9, presos fazem nova rebelião em Goiás

.

CLEOMAR ALMEIDA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma nova rebelião estourou, na noite desta quinta-feira (4), na colônia agroindustrial do regime semiaberto do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, na região metropolitana da capital, três dias depois do primeiro conflito que deixou, no primeiro dia do ano, nove mortos e 14 feridos. A SSPAP (Secretaria Estadual de Segurança Pública e Administração Penitenciária) ainda não divulgou informações indicando se há reféns, feridos e possíveis mortos no novo confronto.

Equipes da Polícia Militar foram enviadas ao local para reforçar a segurança. Agentes prisionais ouvidos pela reportagem confirmaram a nova rebelião nesta quinta-feira (4). O conflito ocorre no mesmo dia em que o presidente do TJ-GO (Tribunal de Justiça do Estado de Goiás), desembargador Gilberto Marques Filho, enviou à presidente do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) e do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia, relatório da vistoria de inspeção realizada nesta quarta (3) na unidade do semiaberto.

Informações preliminares de agentes prisionais indicam que os presos da ala C voltaram a invadir outras áreas da colônia agroindustrial. De acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores do Sistema de Execução Penal de Goiás Maxuell Miranda das Neves, eles são integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capita) e os seus principais rivais são do CV (Comando Vermelho)

Mais cedo, de acordo com agentes prisionais, circulou em um grupo de Whatsapp um áudio de um preso convocando reforços para a nova rebelião.

"Vamos invadir o galpão hoje, onde é dominado por aqueles lixos da ala B e do Comando Vermelho. Vamos invadir lá, colocar fogo e matar esses lixos tudinho. Estou pedindo o apoio de vocês para não deixar a desejar ali com os nossos companheiros", diz um dos trechos. A voz, dizem agentes prisionais, é de um preso.

A ata da última vistoria na unidade, também enviada à ministra, presos ouvidos por juízes disseram que"os agentes não conseguem dominar a cadeia", conforme registrado no documento. Segundo eles, a unidade do semiaberto é dominada por presos das alas C e B, que são rivais.

A ministra Cármen Lúcia programou, para a próxima segunda-feira (8), uma inspeção no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia. Com isso, ela resgata sua agenda de inspeções em unidades prisionais pelo país. Segundo o CNJ, até outubro do ano passado, ela visitou 14 presídios.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Cotidiano

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber