Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Cotidiano

Putin reitera apoio a Assad e acena a Trump

.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em suas mensagens de fim de ano, o presidente russo, Vladimir Putin, reiterou neste sábado (30) seu apoio ao ditador sírio, Bashar al-Assad, e propôs ao colega americano, Donald Trump, uma "cooperação pragmática" como forma de garantir a "estabilidade global".

Segundo o Kremlin, na saudação enviada a Assad, o russo disse que seu país "continuará prestando toda a assistência à Síria na proteção da soberania, unidade e integridade territorial do Estado". Ele ainda afirmou que Moscou ajudará na promoção de um "processo de solução política" e nos "esforços para restaurar a economia nacional".

No começo de dezembro, Putin ordenou que as forças do país na Síria começassem a se retirar, mas disse que a Rússia manteria sua base aérea Hmeimim, na província de Latakia, bem como sua instalação naval em Tartus.

Nesta semana, o Parlamento russo aprovou a extensão do uso do porto no Mediterrâneo por mais 49 anos.

O apoio da Rússia, que realizou seus primeiros ataques aéreos no país em setembro de 2015, tem sido fundamental para Assad.

No telegrama a Trump, por sua vez, Putin afirmou que os dois países podem desenvolver no próximo ano uma cooperação pragmática "com perspectiva a longo prazo", que tenha por base "a igualdade e o respeito mútuo".

"Desenvolver um diálogo russo-americano construtivo é particularmente importante para reforçar a estabilidade estratégica no mundo e para encontrar as respostas ideais para ameaças e desafios globais", disse Putin.

Os dois governos chegaram a afirmar, neste ano, que as relações entre EUA e Rússia atingiram seu nível mais baixo desde a Guerra Fria.

OPOSITOR

Ainda neste sábado, a mais alta corte russa manteve a decisão da comissão eleitoral de impedir que o opositor Alexei Navalny concorra às eleições presidenciais do país em 2018.

A comissão havia determinado que Navalny é inelegível devido a sentenças de prisão que pesam contra ele.

Navalny escreveu, em uma rede social, que ele e seus apoiadores "não vão reconhecer eleições sem competição" e pediram novamente que a população boicote o pleito, em março. Putin concorrerá à reeleição.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Cotidiano

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber