Mais lidas
Cotidiano

Maluf começa a cumprir pena na Papuda

.

RENAN MARRA E REYNALDO TUROLLO JR.

BRASÍLIA, DF, E SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O deputado Paulo Maluf (PP-SP), 86, começou nesta sexta (22) a cumprir pena na penitenciária da Papuda, em Brasília. Ele estava preso em São Paulo desde quarta (20).

Maluf foi condenado a 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão em regime fechado por crimes de lavagem de dinheiro. De acordo com a denúncia, o deputado ocultou dinheiro desviado da construção da avenida Água Espraiada (atual venida Roberto Marinho) enquanto era prefeito de São Paulo (1993-96).

Nesta sexta, o parlamentar deixou a Superintendência da PF de São Paulo, fez exames no Instituto Médico Legal de Brasília e, por volta das 18h, foi para a Papuda, apoiado em uma bengala e caminhando devagar. O deputado não quis falar com jornalistas.

O juiz da Vara de Execução Penal Bruno Aielo Macacari determinou que a equipe médica da Papuda lhe encaminhasse ainda nesta sexta laudo provisório "lastreado na documentação apresentada pela defesa" de Maluf, segundo quem o ex-prefeito está com a saúde debilitada.

A defesa de Maluf pede que a Justiça o autorize a cumprir a pena em prisão domiciliar.

O juiz determinou a entrega do parecer definitivo até terça (26). Caso o juiz espere para decidir após a análise médica final, Maluf passará ao menos o Natal na penitenciária da Papuda.

De acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP) do DF, a cela em que Maluf deve ficar é coletiva, tem aproximadamente 30 metros quadrados e capacidade para abrigar até dez internos. O local possui camas do tipo beliche, chuveiro e vaso sanitário.

A secretaria não informou quantos ocupantes já estão na cela.

O deputado terá direito a quatro refeições diárias (café da manhã, almoço, jantar e lanche noturno) e duas horas de banho de sol, como todos os outros presos. Ele poderá cadastrar até dez pessoas para visitas, sendo nove familiares e um amigo --os advogados têm direito a acesso a qualquer momento.

A cela fica na ala B da Papuda, no bloco 5, que reúne internos que, legalmente, possuem direito de custódia em locais específicos, como ex-policiais, idosos, políticos, além de detentos com formação de ensino superior.

O salário de R$ 33.763 que Maluf recebia da Câmara dos Deputados foi suspenso e os funcionários de seu gabinete foram exonerados.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber