Cotidiano

TRF4 concede licença-paternidade de 180 dias para pai de gêmeos em Curitiba

Da Redação ·
Auxiliar de enfermagem pai de gêmeos, que nasceram em outubro, obteve liminar que prorroga sua licença-paternidade de 20 para 180 dias - Foto: Imagem ilustrativa/portal do TRF4
Auxiliar de enfermagem pai de gêmeos, que nasceram em outubro, obteve liminar que prorroga sua licença-paternidade de 20 para 180 dias - Foto: Imagem ilustrativa/portal do TRF4

Um auxiliar de enfermagem pai de gêmeos, que nasceram em outubro, obteve liminar que prorroga sua licença-paternidade de 20 para 180 dias. A decisão que garante o tempo extra com os filhos foi anunciada nesta semana pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

continua após publicidade

O pai é servidor do Hospital de Clínicas em Curitiba e entrou com ação pedindo tutela antecipada para prorrogar a licença. No pedido, ele sustentou que a família necessita do auxílio paterno e que o cuidado com os gêmeos requer especial disponibilidade tanto do pai quanto da mãe.

Em Curitiba, a Justiça Federal negou o pedido e o homem então, recorreu ao Tribunal, cujo desembargador teve um entendimento diferente do juiz curitibano.

continua após publicidade

Importância da figura paterna
O desembargador Rogério Favreto afirmou na decisão que conceder a liminar é reconhecer a importância da participação da figura paterna na constituição da família, não apenas como provedor material, mas também sentimental. 

Dever do Estado
“O Estado tem o dever inafastável de assegurar as condições necessárias ao desenvolvimento físico, intelectual e emocional das crianças. Na hipótese, os princípios da dignidade humana e da proteção à infância devem preponderar sobre o princípio da legalidade estrita, que concede tão somente às mulheres o direito de gozo da licença-maternidade por período de até seis meses”, completou Favreto.

A ação segue tramitando na 1ª Vara Federal de Curitiba.

Informações do portal do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4)