Cotidiano

Paraná bate recorde de afogamentos em 2017: 50 mortes

Da Redação ·
Foto: Arquivo/imagem ilustrativa
Foto: Arquivo/imagem ilustrativa

Esta época do ano é tempo de férias, com muito calor e festa no Brasil. Oportunidade perfeita para passar um tempo perto da água. Mas toda diversão requer cuidados, principalmente em se tratando de mares e piscinas. É que o Paraná registrou neste ano um número recorde de afogamentos, com média de sete ocorrências a cada dois dias.Segundo informações compiladas do Sistema Digital de Dados Operacionais do Corpo de Bombeiros (SYSBM-CCB), neste ano o Estado registrou um crescimento de 57,8% no número de incidentes com pessoas em meio líquido. Até a terça-feira haviam sido 1.231 ocorrências, enquanto no mesmo período de 2016 foram 780 registros.

continua após publicidade

Na esteira no aumento dos casos de afogamento, também teve alta significativa o número de fatalidades, que passaram de 41 para 50 – variação de 22%. É o maior número de mortes desde 2014, ano em que foram registrados 886 afogamentos e 54 mortes no Paraná. Nesta semana, uma rapaz de 18 anos morreu afogada na Cachoeira do Massambani, em Mandaguari (norte do Paraná).

Chama a atenção, ainda, o número de atendimentos registrados nestas duas primeiras semanas de dezembro, mês que historicamente registra o segundo maior número de ocorrências no ano, atrás apenas de janeiro – cerca de 89% das ocorrências registradas num ano, inclusive, concentram-se entre os meses de dezembro, janeiro e fevereiro, coincidindo com o período de verão e férias escolares.

continua após publicidade

Em 2016
No ano passado, os Bombeiros registraram oito ocorrências nas duas primeiras semanas do último mês do ano, sem fatalidades. Já neste ano, foram 26 casos no estado com 10 óbitos, sendo que a maior parte dos afogamentos (16) ocorreram no Litoral paranaense, o que faz ressaltar a importância da atenção no mar para a prevenção de acidentes nas praias.

Com informações do Bem Paraná