Mais lidas
Cotidiano

Comédia 'Perfeita É a Mãe 2' não passa de uma baboseira natalina

.

MARINA GALEANO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O trio de mães revoltadas formado por Amy (Mila Kunis), Kiki (Kristen Bell) e Carla (Kathryn Hahn) precisou de míseros 16 meses para retornar aos cinemas, na comédia "Perfeita É a Mãe 2".

Toda essa pressa se explica por meio da equação orçamento baixo + bilheteria gorda -um prato cheio para a continuação de histórias que não necessariamente mereciam uma continuação.

Com custo aproximado de US$ 20 milhões, o primeiro filme (sem graça) sobre as "Bad Moms" (no título original), lançado em 2016, teve quase US$ 180 milhões de arrecadação mundial.

Então, os diretores e roteiristas Scott Moore e Jon Lucas -que também assinam os roteiros da trilogia "Se Beber Não Case" e de "Eu Queria Ter Sua Vida" (2011)-, trataram de se apressar para criar uma sequência de "Perfeita É a Mãe". Desta vez, com o Natal como pano de fundo.

Já devidamente rebeladas contra as pressões sociais em torno da mulher moderna, as três amigas agora lutam para se livrar da maratona maçante que acompanha as festas de fim de ano: comprar presentes, decorar a casa, comparecer a eventos pentelhos, mofar no fogão.

Transgressoras que são, Amy, Kiki e Carla se embebedam na praça de alimentação de um shopping center, tocam o terror nos corredores e colocam o Papai Noel na roda (algo parecido com o que fizeram num supermercado no longa anterior).

Mas, quando suas respectivas mães resolvem aparecer para a celebração do Natal, a coisa fica tensa.

Isis (Susan Sarandon), Ruth (Christine Baranski) e Sandy (Cheryl Hines) chegam causando, montadas em estereótipos maternais dignos de um divã de botequim.

A mãe relapsa, semialcoólatra e viciada em jogo; a dominadora e perfeccionista; a carentona obcecada pela vida da filha.

Mesmo na base do clichezão, as veteranas conseguem provocar risadas e tornam a sequência um pouquinho mais divertida do que o primeiro filme.

O sexteto funciona. A estrutura equivocada, porém, se repete.

O roteiro preguiçoso insiste nas piadas sobre pintos e vaginas, no humor meio pastelão, numa narrativa frouxa composta por esquetes amontoados. Sem falar no abuso do "slow motion".

Apesar do elenco turbinado e das novas subtramas, "Perfeita É a Mãe 2" não vai muito além de uma baboseira natalina que traz um punhado de cenas engraçadas e outras tantas tão previsíveis quanto o peru da ceia.

PERFEITA É A MÃE 2

DIREÇÃO Scott Moore e Jon Lucas

ELENCO Mila Kunis, Kristen Bell, Kathryn Hahn

PRODUÇÃO EUA, 2017

CLASSIFICAÇÃO 16 anos

AVALIAÇÃO regular

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber