Mais lidas
Cotidiano

Prisões de imigrantes aumentam 40% com Trump

.

ESTELITA HASS CARAZZAI

WASHINGTON, EUA (FOLHAPRESS) - Dados divulgados nesta terça (5) pelo governo americano mostram que as prisões de imigrantes ilegais nos Estados Unidos aumentaram 40% desde o início da administração de Donald Trump, em janeiro deste ano.

No total, 110.568 imigrantes sem documentação ou status legal foram presos desde a posse de Trump, no final de janeiro, até o mês de setembro. No mesmo período do ano passado, sob a administração de Barack Obama, o número foi de 77.806.

"Eles estão no radar agora", declarou o diretor da agência americana de imigração, Thomas Homan, em entrevista à imprensa na terça. "Nós vamos encontrá-los em suas casas, em seus empregos. Se alguém está no país ilegalmente, isso é um crime por si só."

O aumento das prisões demonstra, mais uma vez, a guinada na política de imigração do governo Trump -que já instituiu um decreto anti-imigração contra países de maioria islâmica e, mais recentemente, anunciou sua saída do pacto para proteção de refugiados da ONU.

Homan afirmou que 73% dos imigrantes presos tinham uma condenação criminal -a maioria deles, por infrações de trânsito ou pelo próprio fato de estarem em situação ilegal no país. Ele negou que esteja promovendo uma retaliação contra imigrantes e afirmou que o país está "cumprindo a lei".

"Gostem ou não do presidente, ele está fazendo a coisa certa", declarou Homan.

O departamento de Segurança Doméstica destacou que as ações contra imigração ilegal são uma das "prioridades" do governo Trump, e que o objetivo é, além de defender as fronteiras e a segurança nacional, "proteger os empregos dos americanos".

"[Queremos] acabar com a discriminação contra trabalhadores americanos", afirmou Francis Cissna, que comanda o serviço de cidadania e imigração dos Estados Unidos. Desde a campanha, Trump tem afirmado que imigrantes ocupam vagas que poderiam ser preenchidas por trabalhadores locais.

Homan ainda acusou as "cidades-santuário", que protegem imigrantes sem status legal, de conduzirem uma política "insensata" e "estúpida".

Os dados divulgados na terça também mostram que a agência de imigração realizou 226 mil deportações por ordem judicial no último ano, num ligeiro declínio em comparação com o ano anterior (quando elas somaram 240 mil).

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber