Mais lidas
Cotidiano

Socialite Carmem Mayrink Veiga morre aos 88 anos no Rio

.

LUCAS VETTORAZZO

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Morreu na noite deste domingo (3) a socialite Carmem Mayrink Veiga, 88. Ela sofria há anos de uma doença infecciosa que atinge o cérebro e compromete os movimentos.

Mayrink Veiga esteve recentemente internada no Hospital Samaritano, no Rio, e morreu em casa.

A filha Antônia Frering lamentou a morte em uma rede social. Uma foto de Carmem com vestido de gola alta e grandes brincos foi publicada com uma legenda com a imagem de um coração partido.

Antônia estava em Nova York e embarcou de volta para o Brasil. A reportagem ainda não confirmou local e data do sepultamento.

Mayrink Veiga era tida como uma das mulheres mais bem vestidas do país a partir de meados dos ano 1950. Natural de Pirajuí, interior de São Paulo, ela era de uma família tradicional. Seu pai era um financista em São Paulo e foi cônsul da Itália.

Mayrink já frequentava desfiles de alta costura quando se casou com o empresário Tony Mayrink Veiga. O casal permaneceu junto até 2016, quando Tony morreu.

O casal ficou conhecido pelas recepções que dava em seu apartamento com vista para o Pão de Açúcar, no Flamengo, zona sul do Rio, e em Paris, onde Mayrink e Tony frequentavam festas chiques e tapetes vermelhos de desfiles de estrelas da moda.

A revista ''Vanity Fair'' classificou Mayrink Veiga como uma das mulheres mais bem vestidas do mundo, em 1981. A ''Vogue'' já considerou o casal Carmem e Tony como o mais chique da América do Sul.

Entre pessoas que conviveram com o casal estava o escritor Truman Capote. O artista plástico Andy Warhol chegou a retratar Carmem em um quadro, assim como o brasileiro Di Cavalcanti.

A família Mayrink Veiga também teve uma rádio, fechada durante a ditadura militar brasileira.

Carmem, que sofria de paraparesia espástica tropical, deixa dois filhos e cinco netos.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber